‘Cães podem detectar câncer pelo faro’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 25 de setembro de 2004 as 09:05, por: cdb

Cachorros podem ser treinados a farejar câncer, segundo uma pesquisa realizada na Grã-Bretanha.

O trabalho foi realizado por cientistas do Hospital de Amersham, em Buckinghamshire, interior da Grã-Bretanha, e os resultados das pesquisas foram publicados no British Medical Journal.

Já existiam relatos de que os cães tinham essa habilidade – embora existam poucas pesquisas como a feita pelos britânicos.

Em 1989, pesquisadores escreveram uma carta ao jornal de medicina Lancet sobre o caso de uma mulher que alegava ter procurado por tratamento médico como resultado direto do interesse incomum de seu cachorro por uma lesão em sua pele que, posteriormente, foi identificada como câncer.

Outras alegações semelhantes foram feitas em relação a outros tipos de câncer em órgãos internos, inclusive de pulmão e seios.

Acredita-se que o câncer produza odores distintos.

É possível que os cachorros, com seu faro excepcional, sejam capazes de detectar esses odores mesmo quando presentes em quantidades minúsculas.

A médica Carolyn Willis e seus colegas fizeram uma experiência cuidadosamente controlada para avaliar se os cachorros poderiam ser treinados para farejar câncer de bexiga a partir dos odores de amostras de urina.

Durante sete meses, eles treinaram seis cachorros de raças e idades diferentes para identificar amostras de urina de pacientes com câncer de bexiga entre amostras de urina de outros sem a doença.

Em nove situações, cada cachorro farejou sete amostras de urina, entre as quais apenas uma era de um paciente com câncer.

Faro

Em 22 das 54 situações, os cachorros selecionaram corretamente a urina da bexiga com câncer.

A taxa de sucesso de 41% é muito superior à de 14% que poderia ser esperada se fosse apenas uma coincidência.

Além disso, todos os cachorros indicaram como positiva uma das amostras de urina em que previamente havia sido descartada a presença de câncer.

O médico do paciente que teve sua urina usada no teste resolveu fazer novos testes depois da indicação dos cachorros.

Os novos testes revelaram um tumor no rim direito do paciente que não tinha sido identificado em exames convencionais.

“Nós estamos muito entusiasmados, porque essa é a primeira vez que isso está sendo comprovado cientificamente”, disse a doutora Willis.

“Os cães têm uma habilidade olfativa extraordinária. Eles reconhecem um tipo de odor de um câncer muito difícil de identificar por meio de outros métodos químicos”.

“Eles não estão detectando apenas um componente químico. Eles estão tendo que identificar o odor de câncer entre as centenas que existem na urina e isso não é um feito menor.”

Spaniels

A treinadora de cachorros Claire Guest disse que a experiência é como identificar os ingredientes de uma sopa.

Algumas raças podem ter melhor desempenho do que outras.

“Nós avaliamos raças diferentes. Os spaniels tiveram o melhor desempenho, mas ainda estamos abertos para todas as opções em relação à qual raça que fará melhor esse trabalho”, disse ela.

Os pesquisadores esperam identificar exatamente qual a mistura de odores que os cachorros farejaram.

A partir disso, eles poderiam tentar criar um instrumento médico que possa detectar esses odores específicos e identificar câncer em pacientes.

Eles também começaram nova pesquisa para comprovar se os cães podem identificar outros tipos de câncer pelo cheiro, como o câncer de pele.