Cada poço do pré-sal custará US$ 100 milhões para entrar em produção

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de outubro de 2009 as 10:54, por: cdb

Cada poço de extração do petróleo na camada pré-sal deverá custar aproximadamente US$ 100 milhões para entrar em produção. A estimativa é do presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, que participou nesta terça-feira de uma audiência pública na Câmara dos Deputados.

Segundo Gabrielli, esse é o custo de um poço para a perfuração abaixo de dois mil metros, como é o caso do pré-sal.

– Primeiro tem que identificar o poço, depois contratar uma sonda, tem que perfurar. Para isso, você utiliza equipamentos, você tem que completar esse poço e depois ele tem que ser preparado para entrar em produção. Isto custa em torno de US$ 100 milhões por poço –, explicou.

Para o presidente da Petrobras, a empresa trabalha com uma projeção do barril de petróleo a US$ 45 para que o poço seja econômicamente viável.

– Nós trabalhamos num cenário de análise do nosso portifólio de investimentos que ele tem que ser viável se o preço do barril for US$ 45. Não estou dizendo que  o preço será US$ 45, nem estou dizendo que o custo é esse. Nós estamos analisando o nosso portifólio de projetos para ver se ele gera suficientes recursos a partir de US$ 45 –, disse.

No Campo de Tupi, segundo Gabrielli, o projeto piloto aponta para uma rentabilidade de produção com o preço do barril entre US$ 40  e US$ 45.

Gabrielli também afirmou que o mapeamento dos poços e a sua produtividade é que irão revelar a sua viabilidade econômica por meio do valor de produção de cada barril.

– O mapeamento é uma parte fundamental para analisar a produtividade. Ele identifica onde, e depois de saber onde você define uma curva de produção. Definida essa curva, você define o quanto tem que se investir. Ao saber quanto será investido, se faz o fluxo de investimento e chega ao preço do barril –, disse.