Cacav/Travessia investe na qualidade do acolhimento

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de abril de 2012 as 15:05, por: cdb

Ribeirão Preto, 20 de Abril de 2012

Cacav/Travessia investe na qualidade do acolhimento
Oficinas de artesanato, informática, culinária, brinquedoteca, jogos e artes e contação de histórias são oferecidas às crianças e adolescentes abrigados

 

Fotos Carlos Natal

Cacav /Travessia investe na qualidade do acolhimento

 
Muitas delas chegam ao abrigo ainda muito pequenas. O Cacav/Travessia, Instituição de Acolhimento ligada à Secretaria Municipal de Assistência Social, tem capacidade para atender 60 crianças e adolescentes, na faixa etária de 4 a 18 anos incompletos. Atualmente são 23 acolhidos, que encontram na instituição o aconchego de um lar.

Acolhidas por um trabalho embasado na humanização, a história de quem chega nem sempre traz um belo enredo, ou seja, na maioria das vezes todos os relatos são acompanhados de muito sofrimento, dor, perda, revolta, abandono, insegurança e dúvidas sobre o futuro. Para amenizar um conjunto de emoções e vivências que se perdem em meio a uma série de conflitos, o Cacav/Travessia criou um vasto cronograma de atividades com o objetivo de “dar cor” à vida dessas crianças no abrigo, investindo dessa forma, na qualidade do acolhimento.

“Aqui convivemos com relatos que geraram muito sofrimento e desconforto para essas crianças e adolescentes”. O que podemos e estamos fazendo é trabalhar o interior de cada uma delas oferecendo, além do nosso carinho, um conjunto de atividades que venham valorizar a qualidade de vida da criança e do adolescente, que aguarda pelo retorno ao lar”, afirmou Elisabete Veronezi, coordenadora do Cacav/ Travessia.

O trabalho da Instituição, além do atendimento psicológico, psicopedagógico, terapêutico e social, está em incentivar essas crianças/adolescentes para que elas tenham condições de mudar a realidade na vida adulta. Profissionais que atuam no Cacav/Travessia contam experiências de jovens que por lá passaram e encontraram o próprio caminho. “Esta é a meta, ensinar a conviver com um passado difícil e mostrar que existem chances de se começar uma nova história e dar a ele outro desfecho, diferente, e de sucesso”, declara.

 

O Abrigo tem capacidade para atender 60 entre crianças e adolescentes

 

“Buscamos sempre fazer uso do que o município oferece, como cursos (informática, culinária, etc.), oficinas, terapias e esporte (Natação e futebol) fora do abrigo. Consideramos que é importante que os adolescentes/crianças convivam com pessoas diferentes de sua realidade, preparando-se assim para viver normalmente em sociedade. Quando o adolescente/criança está no abrigo tem a disposição atividades diversificadas, voluntários e inclusive áreas de lazer como parque, areia nova e espaço gramado para vôlei e futebol”, completa Veronezi.

Vale enfatizar que todas as crianças acolhidas pelo Cacav estão regularmente matriculadas em escolas do município frequentando creches, pré-escolas, ensino médio e fundamental. Segundo a coordenadora do órgão, elas se preocupam em ter participação, boas notas e cumprir com as tarefas e demais obrigações, o que contribui para a formação disciplinar.

“São crianças inteligentes, e nosso papel é orientá-las a usar essa inteligência para o bem, e isso temos feito aqui todos os dias. Além disso, trabalhamos diretamente com a família dos acolhidos para que tenha condições de receber o filho de volta em casa. É preciso trabalhar um novo contexto de vida junto a essas famílias, conscientizando-as de que é necessário haver mudança de comportamento. A disciplina e a mudança de vida envolvem o acolhido e principalmente o responsável por ele, no caso a família”, explica Elisabete.

A satisfação é resultado de um trabalho que envolve toda a equipe. Segundo a educadora Débora, que acompanha a área da educação e saúde diz perceber a “diferença de um atendimento individualizado, inclusive das parcerias com as escolas, pois assim podemos auxiliar as dificuldades de cada um”. Para os educadores que acompanham os adolescentes/crianças dentro da casa relatam estar nítida a diferença no trabalho, principalmente no comportamento dos mesmos “Hoje eles respeitam mais a gente, o clima está mais calmo, é muito mais fácil trabalhar assim”, acrescenta o educador Renato.

Os interessados em conhecer o trabalho da Instituição Cacav/Travessia, podem ir até a rua Genoveva Onofre Barbam, 851, no Planalto Verde. Mais informações pelo telefone 3975-8920.