Caça-níqueis e dólares são encontrados por policiais numa padaria em SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 08:43, por: cdb

Perseguindo um suposto traficante nigeriano, policiais da 1ª Cia Tática do CPC, acabaram descobrindo, em uma panificadora localizada na esquina das avenidas Rio Branco e Ipiranga, 16 máquinas de caça-níqueis e US$ 37 mil, além de uma escopeta.

Com o africano, apanhado no banheiro do estabelecimento, havia um papelote com resto de cocaína e algumas cápsulas que podem conter ecstasy. Além dele foram presos o dono da padaria e um homem que se apresentou como proprietário das máquinas.

O nigeriano Okechukwo Aloysius, de 37 anos, chamou a atenção dos policiais quando passava pela Rio Branco, nas proximidades da Av. Duque de Caxias. Assustado, começou a correr e foi perseguido por cinco quarteirões, até a padaria. Ali, ele se trancou no banheiro, onde foi apanhado antes de livrar-se de toda a droga que portava.

Aberta durante 24 horas por dia, aquela panificadora e lanchonete é freqüentada na madrugada por profissionais de várias atividades, que trabalham à noite, notívagos desocupados, marginais e prostitutas. Apesar de estarem interessado em apanhar o suposto traficante, os PMs ficaram surpresos com a quantidade de caça-níqueis ilegais existentes ali.

Iniciando uma vistoria, encontraram, no balcão, US$ 4 mil. A princípio, o proprietário Marcelo Miano de 32 anos, não soube explicar a origem daquele dinheiro e os policiais desconfiaram que era produto de venda de drogas. Depois, revistando o escritório, encontraram numa caixa de uísque mais US$ 33 mil e uma escopeta sem registro. Willian Rodrigues, de 23 anos, se apresentou como proprietário das máquinas, mas afirmou nada ter com o dinheiro e a arma.

Os três foram levados ao 3º DP – Campos Elísios. O advogado de Marcelo explicou que o dinheiro se destina à reforma da residência do empresário, que, temendo ser roubado, resolveu guardá-lo naquela caixa de uísque, na padaria. A polícia suspeita que ali funcione também com casa de câmbio, lavando dinheiro de venda de drogas a estrangeiros. O nigeriano deve ser autuado por tráfico ou porte de drogas e os outros dois pela arma, pelas máquinas e pelo dinheiro de origem desconhecida.