Bush quer Bin Laden “Vivo ou Morto”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de setembro de 2001 as 15:35, por: cdb

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse que quer capturar vivo ou morto o terrorista saudita Osama bin Laden, suspeito de ser o mentor dos atentados do último dia 11 de setembro. Bush afirmou que a determinação do Exército americano para buscar o dissidente saudita nunca foi tão forte.

– Vamos defender a liberdade a qualquer custo. Não vamos permitir que nos aterrorizem. Quero justiça. Há um velho cartaz do Oeste que diz: procura-se vivo ou morto – disse Bush, referindo-se a Bin Laden, nesta segunda-feira, em entrevista coletiva no Pentágono

A declaração foi uma ameaça ao Talibã, movimento que governa o Afeganistão e que estaria dando refúgio ao terrorista. Nesta segunda-feira, uma delegação do Paquistão se reuniu com líderes talibãs, aos quais teria imposto um ultimato de 72 horas para que a milícia islâmica entregasse Bin Laden.

Bush afirmou ainda que o Talibã será considerado responsável por ajudar Bin Laden.

– Vamos encontrar estes perversos, estes bárbaros que atacaram o nosso país, que terão que responder por seus atos, e aqueles que os ajudaram responderão também, aqueles que crêem que podem arrumar refúgios seguros, as pessoas que alimentam tudo isso responderão por seus atos, e o Talibã deve levar estas declarações a sério – completou.

Nesta terça-feira, o presidente da França, Jacques Chirac, desembarca em Washington, para a primeira reunião de um chefe de Estado com Bush desde os atentados da semana passada. O encontro foi confirmado pelo assessor de imprensa da Casa Branca, Ari Fleischer.

Chirac deverá ratificar a solidariedade de Paris com o governo americano. No entanto, para os analistas, o motivo principal da viagem do presidente francês é tentar esclarecer o tipo de intervenção que Washington pretende fazer e que ajuda poderá requisitar dos aliados europeus.

Fleischer disse ainda que Bush está “muito preocupado com a saúde das companhias aéreas americanas” e que haveria “outros possíveis suspeitos nos país”.

Já o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, ratificou que Bin Laden é o principal suspeito dos ataques em Washington e Nova York.

– Todos os caminhos levam a Bin Landen. Ele dirige uma holding com células terroristas em todo o mundo – disse Powell.

– Nosso objetivo é neutralizar e destruir a rede Al Qaeda – acrescentou ele, referindo-se ao grupo liderado por Bin Laden.

Powell disse que os EUA estão recebendo o apoio de vários países islâmicos, mas destacou que “nada foi pedido do governo do Irã até o momento”.