Bush promete vingança contra as as Farc

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de fevereiro de 2003 as 16:33, por: cdb

O presidente George W. Bush qualificou de “assassinos impiedosos” os membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que mataram, a sangue frio, dois agentes de inteligência americanos. Eles estavam a bordo de um pequeno avião americano que caiu devido a falhas técnicas no sul da Colômbia, na semana passada.

“Eles tinham tiros na nuca, o que demonstra que foram assassinados a sangue frio. São uns assassinos impiedosos e merecem ser tratados como tal”, disse Bush em uma entrevista ao canal Telemundo.

Em uma das primeiras referências deste ano à crise colombiana, Bush mencionou o trabalho do presidente colombiano, Alvaro Uribe, a quem qualificou de “verdadeiro líder da luta contra o terrorismo” e cujo trabalho “está me surpreendendo favoravelmente”.

O Cessna em que viajavam os espiões americanos estava colhendo informações no sul da Colômbia sobre a Frente nº 15 das Farc, e tentavam localizar os responsáveis pelo grupo através do método de “inteligência eletrônica”.

Os governos tentam resgatar os outros três tripulantes do avião, que estão desaparecidos. Através de panfletos lançados por um avião, ofereceram uma recompensa equivalente a US$ 340.250,00 a quem der informações que permitam recuperá-los vivos.

Ao mesmo tempo, o senador americano Tom Davis fez saber que os EUA adotarão represálias contra as Farc. “Cometeram um erro muito grave e vão pagar um preço muito alto por isso”, ameaçou Davis.

O Brasil, através de seu chanceler Celso Amorim, disse que seu país está disposto a oferecer-se como “mediador” na crise colombiana e assegurou que na próxima semana os chanceleres latino-americanos se reunirão para examinar a questão. Outro país disposto a facilitar o diálogo entre o governo e as Farc é a Suíça, que anunciou a disposição através de seu embaixador em Bogotá, Vicktor Christen.