Bush cresce por incompetência da oposição, não por méritos próprios

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 1 de setembro de 2004 as 01:48, por: cdb
Atualizado em 13/11/16 12:26

Os protestos, como esperados, estão pipocando em Nova Iorque nessa semana de Convenção Republicana.

 

Durante a noite de ontem, o Governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, discursou e foi aplaudido por milhares de partidários.

 

A idéia é levar para o horário nobre da televisão e, portanto, para os palcos do Madson Square Garden, as figuras mais “light” do partido.

 

A intenção é dar uma cara “menos durona” aos conservadores republicanos, ainda mais por estarem na cidade da “liberdade”, a mais cosmopolita do mundo e de quebra, um reduto dos democratas.

 

Serão mostrados ao país os rostos politicamente ecléticos de George Pataki, Zell Miller, Michael Bloomberg, John McCain , Arnold Schwarzenegger e Rudy Giuliani. Esses três últimos são os políticos mais populares dos Estados Unidos atualmente.

 

Figuras como Tom DeLay, Rick Santorum, Dennis Hastert ou mesmo Bill Frist, o quarteto que definiu o tom e a tática da agenda radical do partido no Congresso, não terão vez para aparecerem nos aparelhos de TV dos norte-americanos.

 

O período é bom para os republicanos, com notícia de aumento de consumo interno dada ontem e com as pesquisas indicando que a dupla Bush/Cheney está na frente de Kerry/Edwards.

 

O crescimento de George Bush vem mais da incompetência da oposição do que de seus próprios méritos.

 

Ele continua falando besteira, dizendo o que não deve e é cada vez maior o número de celebridades emitindo opiniões contrárias a ele.

 

Contudo, parece que isso não está fazendo efeito. Nem o filme de Michael Moore, Fahrenheit 9/11 e nem seus livros “Cara,