Bush assina lei de responsabilidade corporativa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de julho de 2002 as 13:10, por: cdb

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush assinou nesta terça-feira uma lei de responsabilidade corporativa, visando a restabelecer a confiança dos norte-americanos nos mercados financeiros, depois de uma série de escândalos envolvendo grandes empresas. “Hoje, eu assino as reformas de maior alcance para as práticas empresariais norte-americanas, desde o tempo de Franklin Delano Roosevelt”, disse Bush na cerimônia realizada na Casa Branca diante de congressistas e membros do grupo de trabalho sobre fraudes corporativas, que o governo criou recentemente.
O presidente afirmou ainda que a lei envia uma mensagem em vários níveis. Para os executivos das grandes empresas, Bush disse: “Essa legislação afirma que nenhuma sala de reuniões de empresas na América está acima ou além da lei”.
“Essa lei diz para os contadores: Os altos padrões de sua profissão terão de ser cumpridos sem exceção. Os auditores serão auditados, os contadores responderão por seus atos”, acrescentou.
Essa lei diz para os trabalhadores: “Nós não toleraremos práticas afoitas que valorizem artificialmente as ações nas bolsas de valores e acabam por destruir as companhias e as pensões e seus empregos”, completou.
O Congresso aprovou a iniciativa com uma rapidez incomum. A confluência de escândalos, a queda nos preços das ações, a ira dos eleitores e a proximidade das eleições legislativas criaram suficiente pressão sobre os congressistas para que aprovassem rapidamente severas medidas de supervisão contábil e um aumento das multas por fraudes. A lei inclui a criação de uma nova junta de supervisão para que controle as empresas de contabilidade; novas e duras penas para fraudes corporativas; e mais fundos para a Comissão de Valores dos EUA. A iniciativa, que foi impulsionada pelo senador democrata Paul Sarbanes, é muito mais dura do que a Casa Branca pretendia, e conseguiu apoio dos republicanos no Congresso.