Bush anuncia programa para guerra no ciberespaço

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de fevereiro de 2003 as 18:37, por: cdb

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, assinou uma diretriz secreta determinando o desenvolvimento, pela primeira vez, de um programa nacional para determinar quando e como os Estados Unidos lançarão ciberataques contra redes de computadores inimigos, segundo o jornal The Washington Post. De forma semelhante à doutrina estratégica norte-americana que direcionou o uso de armas nucleares desde a Segunda Guerra Mundial, o programa de uma guerra cibernética deverá estabelecer as regras sob as quais os americanos irão penetrar e derrubar sistemas de computadores estrangeiros.

De acordo com fontes do governo norte-americano, os EUA nunca conduziram um ciberataque estratégico e de grande escala. O Pentágono, no entanto, vem acelerando o desenvolvimento de armas cibernéticas, prevendo o dia em que os elétrons substituirão as bombas, executando assim um número menor, porém mais rápido, de ataques sangrentos nos alvos inimigos. Ao invés de aviões e tropas, os projetistas militares imaginam soldados em terminais de computadores invadindo silenciosamente redes estrangeiras para derrubar radares, desativar dispositivos elétricos e romper serviços telefônicos.

As ações de Bush, segundo especialistas, têm um grande potencial para modificar os significados da guerra. Mas ainda falta a definição das regras presidenciais para a tomada de decisão sobre as circunstâncias sob as quais tais ataques devem ser lançados e contra quem.

Todo o ciberarsenal dos EUA está mantido em sigilo pelo governo e chega a estar mais protegido que seus recursos nucleares. Devido às preocupações com a segurança, muitos desses programas são abertos somente para grupos estritamente restritos.