Brigit Bardot desperta críticas da comunidade islâmica francesa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de maio de 2003 as 12:59, por: cdb

A atriz francesa e militante pelos direitos dos animais Brigitte Bardot criou nova polêmica com militantes anti-racismo, depois de tecer críticas aos muçulmanos num livro que acaba de lançar.

O grupo de combate ao racismo MRAP e a Liga de Direitos Humanos disseram que vão registrar queixa num tribunal contra Bardot, de 68 anos, devido a observações que ela fez em seu livro A Scream in the Silence (Um Grito no Silêncio).

No livro, a atriz escreveu:

– Sou contra a islamização da França. Durante séculos nossos antepassados sacrificaram suas vidas para expulsar sucessivos invasores.

A França, onde vivem cerca de 5 milhões de muçulmanos, está testemunhando um debate acirrado em torno do uso do tradicional véu por estudantes islâmicas nas escolas do país.

Em 1997 e 1998, Brigitte Bardot foi condenada por incitar ao ódio racial e teve que pagar uma multa de 30 mil francos (5.400 dólares) por ter publicado críticas aos costumes árabes e ao papel do Islã na França.

Na segunda-feira, na primeira entrevista que concedeu à TV em sete anos, Bardot defendeu suas observações e disse que não se envergonha de suas opiniões.

Bardot, que foi estrela de clássicos como E Deus Criou a Mulher, abandonou sua carreira no cinema 30 anos atrás para dedicar-se ao trabalho de ativista dos direitos dos animais, tendo criado para esse fim a Fundação Brigitte Bardot em 1986.