Brigada antidengue iniciou treinamento de mais 90 funcionários parceiros da Prefeitura de Niterói

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de abril de 2012 as 10:00, por: cdb

Qui, 19 de Abril de 2012 15:56

Mais 90 funcionários de três novas instituições parceiras da Prefeitura de Niterói, que aderiram ao projeto pioneiro no Brasil, “Brigada Antidengue”, lançado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), por meio do setor de Informação, Educação e Comunicação (IEC), do Departamento de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses (Devic), iniciaram na última terça-feira (17/04) treinamento para detectar e eliminar possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, em seus locais de trabalho.
 

Vinte funcionários da Empresa Renave e 60 da Universidade Federal Fluminense (UFF) compareceram ao Auditório Macunaíma, no Campus do Gragoatá. Ontem, dez funcionários do Condomínio Vale de Itaipu iniciaram o curso que prosseguem até amanhã (20/04). O Condomínio São Francisco Hills já está agendado para o curso.


O objetivo do projeto é a capacitação e o treinamento de trabalhadores de instituições públicas e privadas, envolvidos nos processos de higiene e limpeza, bem como de administração e segurança. De acordo com os técnicos, os funcionários são orientados a ter um olhar crítico em relação ao seu ambiente de trabalho no sentido de identificar e eliminar possíveis focos. “A parceria com instituições civis são de extrema importância para o alcance do nosso objetivo, que é controlar a proliferação do Aedes aegypti”, destaca a presidente da FMS, secretária Gisela Motta de Miranda.


A doença, o vetor, a prevenção e o controle


A capacitação dos empregados consiste em um curso com algumas etapas. Durante três dias, consecutivos ou alternados, os profissionais recebem treinamento durante nove horas, distribuídas em três módulos: seis horas de aulas expositivas e três de atividades teórico-práticas. Inicialmente, eles são levados a conhecer o ambiente em que trabalham; em seguida, vão mapear os locais de risco do vetor; receberão noções e cuidados em relação à doença transmitida pelo Aedes aegypti – a dengue – e irão identificar o ciclo de vida do inseto e os métodos para o controle do mosquito.


Entre os métodos para o controle do mosquito está o conhecido fumacê, que, segundo veterinários e sanitaristas, é uma ação química indesejável, porque pode eliminar outros predadores do inseto e agredir o meio ambiente. A operação com o carro fumacê só deve ser feita pelo poder público ou empresa registrada. Segundo o gestor ambiental da Vigilância Sanitária e coordenador do curso, Claudio Moreira, a utilização do produto é preconizada somente quando há necessidade emergencial de se criar uma barreira contra o vetor, em uma determinada área, onde há casos comprovados da doença.


Os métodos eficientes destacados pelo gestor e relatados no treinamento são: o mecânico, que consiste em cobrir caixas d´água, colocação de telas em barris, entre outros; o controle físico, principalmente através da temperatura ambiental; o controle biológico, com predadores naturais da larva ou do mosquito adulto e o uso de biolarvicida. Também os funcionários participam de um trabalho de campo, buscando foco no ambiente, exemplificado pelo trabalho dos agentes. E, por último,
?os alunos? observam através do microscópio larvas e pulpas, que, quase sempre, são encontrados nos seus ambientes de trabalho. Esses focos são levados para análises no laboratório do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), a Labzo, cujos resultados são enviados aos condomínios e empresas.


Na conclusão do curso de capacitação, as empresas, os condomínios e os funcionários recebem certificados de participação da Brigada Antidengue. Após 20 dias, a equipe treinada recebe uma visita dos técnicos para verificar as necessidades e observações realizadas pelos participantes.


Já receberam certificados de participação na Brigada Antidengue as seguintes empresas, condomínios e outras entidades civis de Niterói: Estaleiro Aliança, UTC Engenharia, Viação Expresso Barreto, Labor-Med, as construtoras Oderbrech e Concrejato, os condomínios Grotão, Lopes da Cunha, Ubá VII, Hill Village, Ubá Terra Nova e, ainda, a Biblioteca Cora Coralina, a Faetec e Policlínica Municipal de Especialidades Sylvio Picanço. A NitPort Serviços Portuários AS (Porto de Niterói) é outra grande parceira da FMS, que, por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), firmou convênio com a Prefeitura de Niterói, para capacitação de seus funcionários, que ainda estão sendo treinados por equipes.