Brasileiro dirige Unitaid, mantida com passagens aéreas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 17 de fevereiro de 2008 as 14:57, por: cdb

Quem viaja de avião está contribuindo, mesmo sem saber, com um ou dois dólares para um fundo de remédios destinado ao tratamento de populações pobres vítimas da Sida, paludismo e tuberculose, a maioria na África. A Unitaid é a mais recente organização da ONU, tem sede em Genebra e é dirigida por um brasileiro.

 

Uma nova organização da ONU funciona em Genebra com um financiamento bem diferente do comum –  um ou dois dólares em cada passagem de avião. Trata-se do Fundo Internacional para a compra de Medicamentos, cuja sigla é Unitaid e cujo lema traduzido é Unidos para Curar.

Seu objetivo principal é o de fornecer remédios para as populações mais pobres do planeta e vem beneficiando neste primeiro ano de funcionamento principalmente as populações africanas.

Contando também com subvenções das Fundações Clinton e Melinda e Bill Gates a Unitaid recolheu em 2007 o equivalente a 350 milhões de dólares e já está fornecendo tratamento para cem mil crianças e 65 mil adultos vítimas da Sida.

Ao mesmo tempo, está permitindo o tratamento de centenas de milhares de pessoas vítimas do paludismo  e da tuberculose.

A idéia foi lançada em Paris, há dois anos, pelo ex-presidente francês Jacques Chirac com o presidente brasileiro Lula da Silva e formalizada em setembro de 2006 na ONU por cinco países – Brasil, França, Chile, Inglaterra e Noruega.

O dirigente dessa nova organização, que vem obtendo reduções de 40 a 50% nos preços dos remédios por ela adquiridos, é o cientista brasileiro Jorge Bermudez, vindo dos laboratórios Fiocruz, ex-diretor da Escola de Saúde Pública da fundação Oswaldo Cruz, e chefe do depatamento de vacinas da Organização Panamerica de Saúde.  “Quem viaja de avião contribui, em 19 países, com um ou dois dólares para a Unitaid. Outros oito países fazem doações tiradas dos impostos recolhidos nos aeroportos ou sobre o querosene dos aviões”, diz Bermudez, que prevê um sensível aumento de contribuições para o Fundo Unitaid nos próximos anos.