Brasil vence amistoso de virada

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 20 de novembro de 2002 as 14:37, por: cdb

Após 154 jogos, Zagallo disse adeus à Seleção Brasileira. Nesta quarta-feira, em Seul, equipe venceu a Coréia do Sul por 3 x 2, na partida que marcou a despedida definitiva do treinador do comando da equipe.

“Hoje é um dia importante, mas não apenas para mim. Dedico essa homenagem a todas as pessoas que colaboraram comigo para eu chegar até aqui, desde o início da minha carreira como treinador”, disse Zagallo.

O atacante Ronaldo foi o grande destaque da partida. O jogador do Real Madrid marcou dois gols. O gol da vitória da Seleção foi marcado somente aos 47min do segundo tempo, num pênalti convertido por Ronaldinho.

A partida começou com 11 minutos de atraso. Por causa do trânsito da capital sul-coreana, a Seleção Brasileira chegou ao World Cup Stadium às 7h50 (horário de Brasília), dez minutos antes do horário marcado para o início do jogo.

A Coréia surpreendeu no início. Ao invés de jogadas rápidas de contra-ataque, sua marca na Copa do Mundo, a equipe priorizou o toque de bola.

Como no Mundial, os coreanos foram beneficiados pela arbitragem. Aos 6min, Cafu tentou fazer um passe para Lúcio, porém a bola bateu na mão de Ahn Jung-hwan e chegou até Dida.

O goleiro brasileiro, então, pegou a bola com as mãos. O juiz chinês Lu Jun interpretou o lance como recuou de bola e marcou o tiro livre indireto, dentro da área brasileira.

Após muita reclamação dos jogadores brasileiros, aos 8min, Ahn Jung-hwan, então, cruzou para Seol Ki-hyeon – livre de marcação na pequena área brasileira – cabecear: 1 x 0.

Com uma defesa composta por três homens em linha, a Coréia ficou exposta às jogadas rápidas do ataque brasileiro.

Aos 15min, num contra-ataque, Lúcio tocou para Ronaldo, que driblou o goleiro Lee Woon-jae, mas chutou para fora.

O atacante do Real Madrid, porém, não errou no minuto seguinte. Zé Roberto fez um ótimo passe, entre a zaga coreana, para Ronaldo entrar em velocidade e tocar sem chances para Lee Woon-jae: 1 x 1.

Ronaldo, aos 23min, quase colocou a Seleção à frente do placar. Zé Roberto bateu escanteio, e a bola desviou em um defensor coreano. Na pequena área, Ronaldo pegou a sobra e finalizou. O goleiro Lee Woon-jae defendeu em cima da linha.

Aos 39min, os jogadores brasileiros reclamaram de um pênalti de Choi Jin-cheul em Ronaldinho. O meia-atacante do PSG havia avançou até a área rival após tabela com Ronaldo, porém foi desarmado pelo coreano com um carrinho. O juiz chinês achou o lance normal.

“Acho o placar injusto”, disse Zagallo, analisando o primeiro tempo.

O treinador deve ter ficado mais insatisfeito com o placar da partida aos 13min do segundo tempo.

Yoo Sang-chul avançou pelo lado direito do ataque sul-coreano e cruzou para a aérea. Seol Ki-hyeon, sem marcação, chutou para a defesa de Dida. Porém a bola sobrou para Ahn Jung-hwan marcar: 2 x 1.

Os erros de marcação da seleção coreana voltaram a salvar o Brasil. Aos 23min, Edmílson fez lançamento longo para Ronaldo, que tinha a marcação apenas de um rival.

O atacante brasileiro dominou a bola, avançou até a aérea coreana e tocou no meio das pernas de Lee Woon-jae: 2 x 2.

No final da partida, Amoroso sofreu pênalti. Ronaldinho Gaúcho cobrou e fechou o placar: 3 x 2. “Foi muito um resultado muito importante. Não apenas pelo placar, por por tido que essa equipe fez”, disse Zagallo.

A partida contra a Coréia rendeu US$ 800 mil (R$ 2,9 milhões) aos cofres da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). A equipe deve realizar ainda um amistoso em dezembro. O adversário e local não estão definidos.

CORÉIA DO SUL 2 x 3 BRASIL

Coréia
Lee Woon-jae (Kim); Hong Myung-bo (Kim), Kim Tae-young, Choi Jin-cheul, Song Chong-gug (Choi), Yoo Sang-chul, Kim Nam-il, Lee Young-pyo, Lee Chun-soo (Kim), Ahn Jung-hwan e Seol Ki-hyeon (Cha)
Técnico: Kim Ho-kon

Brasil
Dida; Cafu (Belletti), Edmilson, Lúcio e Roberto Carlos; Gilberto Silva, Kléberson, Zé Roberto e Ronaldinho; Amoroso e Ronaldo
Técnico: Zagallo

Data