Brasil se reúne com Alca para apresentar unidade da Mercosul

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 9 de abril de 2003 as 10:10, por: cdb

Começa nesta quarta-feira, em Puebla, no México, uma nova rodada de negociações para a Área de Livre Comércio das Américas (Alca). Os 34 vice-ministros dos países que negociam a integração vão tentar resolver, até sexta-feira, as principais polêmicas que dominam as discussões, como as formas de negociação da liberalização agrícola e a abertura do setor de serviços.

Segundo o conselheiro Tovar Nunes, coordenador-geral para as Negociações da Alca do Ministério das Relações Exteriores (Conalca), na reunião do 13ª Reunião do Comitê de Negociações Comerciais (CNC) será possível se ter uma idéia mais precisa sobre se o empenho de Washington em relação à Alca mudou por conta da guerra, para melhor ou para pior.

Em relação ao posicionamento do Brasil, Nunes diz que o País vai demonstrar com firmeza a coesão do Mercosul na defesa de seus interesses. O vice-chanceler argentino Martin Redrado apoiou as palavras do diplomada brasileiro e afirmou que a Argentina insistirá que a agricultura e as políticas de defesa comercial sejam os temas prioritários na negociação.

O enfraquecimento do Mercosul, resultado da crise argentina, ameaçou a suposta força que o bloco tem nas negociações, cujo principal interessado são os Estados Unidos. A disposição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de priorizar as relações externas com os parceiros de bloco e o início da recuperação do país vizinho deram um novo impulso à unificação do Mercosul na negociações internacionais.