Brasil e União Européia assinam acordo de abertura do mercado têxtil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 6 de novembro de 2002 as 16:45, por: cdb

O Brasil e a União Européia (UE) assinaram nesta quarta-feira, em Bruxelas, um amplo acordo de liberalização do mercado têxtil, atingindo 10 categorias de produtos, de fios e tecidos a roupas e toalhas.

O acordo, que havia sido negociado em agosto, entrará em vigor na próxima sexta-feira, segundo o anúncio da Comissão Européia.

Pelos termos do pacto, a União Européia eliminará todas as cotas sobre os produtos têxteis que importar do Brasil.

De sua parte, o Brasil deixará de aumentar as tarifas máximas dos seguintes produtos procedentes da União Européia: fio (atualmente em 14 por cento), tecidos (18 por cento) e roupas (20 por cento).

O governo brasileiro também concordou em não prolongar a aplicação de um imposto adicional de 1,5 por cento cobrado no Mercosul pelos têxteis importados e que expira no fim do ano.

O acordo com a União Européia também prevê que as duas partes se esforcem para evitar a adoção de barreiras não-tarifárias ao comércio.

Para o comissário europeu de Comércio, Pascal Lamy, o pacto “mostra claramente que a União Européia está disposta a acelerar a abertura de seu mercado de produtos têxteis antes do fim da rodada comercial multilateral, em 2005, com a condição de que seus sócios comerciais estejam dispostos a oferecer um melhor acesso a seus mercados”.

Segundo números fornecidos por Lamy, a União Européia exportou para o Brasil 243 milhões de euros em têxteis e importou 239 milhões no ano passado.