Brasil é autorizado pela OMC a retaliar o Canadá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de março de 2003 as 10:48, por: cdb

A Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou, na manhã desta terça-feira o Brasil a retaliar o Canadá em US$ 247,8 milhões por causa da disputa entre a Embraer e a Bombardier. O Itamaraty, porém, garante que não se utilizará de seu direito para não atrapalhar as negociações bilaterais que ocorrem entre os países para tentar solucionar a disputa que dura mais de seis anos.

“Vamos nos concentrar agora nas negociações bilaterais, mas era importante garantir nosso direito de retaliar”, afirmou à Agência Estado o embaixador do Brasil em Genebra, Luiz Felipe Seixas Correa. No ano passado, o governo foi à OMC pedir que fosse dado o sinal verde para que o País retaliasse os canadenses em US$ 3,36 bilhões. O motivo da sanção seria os danos que os subsídios dados por Ottawa à empresa Bombardier teriam gerado para a brasileira Embraer.

Os canadenses, porém, rejeitaram o valor indicado pelo Brasil e a entidade foi obrigada a criar um grupo de arbitragem para apontar o montante correto da retaliação. Depois de mais de dois meses de estudos, a OMC definiu que a retaliação seria de apenas US$ 247,8 milhões, valor que ficou mais próximo à tese canadense.

Depois de vários capítulos e anos de gastos com advogados, o papel da OMC na disputa entre Brasil e Canadá foi finalmente concluído com a autorização desta manhã. Os passos seguintes das negociações, portanto, ficam à cargo dos dois governos. “Se a negociação for concluída, isso significará que o sistema da OMC funcionou”, completa o embaixador brasileiro.