Brasil desenvolve curativo de celulose que substitiu a pele

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de setembro de 2004 as 08:42, por: cdb

A Bionext Produtos Biotecnológicos desenvolveu, em parceria com a Unesp, um curativo a partir da celulose que poderá substituir temporariamente a pele em casos de queimadura, acelerando a cicatrização da ferida. Ainda em fase de aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a membrana biocompatível, por ser de emprego único, não exige a aplicação por diversas vezes na região até que a pele se restabeleça.

Trata-se de uma membrana obtida pela bactéria produtora de celulose Acetobacter xylinum, que, quando colocada sobre a área atingida, cria uma película protetora semelhante à pele.

Feridas de diabéticos também poderão ser tratadas com o curativo, segundo Lecy Marcondes Cabral, coordenador de pesquisas da Bionext .