Brasil condena ataque que matou ex-presidente do Afeganistão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 21 de setembro de 2011 as 05:22, por: cdb

Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O governo do Brasil condenou o atentado que matou ontem (20) o ex-presidente do Afeganistão e chefe do Conselho de Paz do país, Burhanudín Rabbani. Em nota oficial, o Ministério das Relações Exteriores defendeu o compromisso da comunidade internacional com o processo de reconciliação e paz na sociedade afegã.

“Ao se solidarizar com o governo, o povo afegão e a família do ex-presidente Rabanni e das demais vítimas, o Brasil reafirma seu compromisso com um processo pacífico de reconciliação nacional no Afeganistão. Reitera, ademais, seu repúdio a todos os atos de terrorismo, praticados sob qualquer pretexto”, diz o comunicado, divulgado na noite de ontem.

Desde 2010,  Rabbani liderava o Conselho de Paz do Afeganistão. O ex-presidente foi morto com mais cinco pessoas em local próximo à sua casa, em Cabul, capital afegã. De acordo com autoridades do país, integrantes do Taleban assumiram a autoria do crime.

Ontem, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, pediu ao presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, para deixar Nova York, onde estava para as reuniões da Assembleia Geral da ONU, e regressar ao país.

Edição: Graça Adjuto