Bovespa volta a subir forte e supera a marca dos 61 mil pontos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 17 de setembro de 2009 as 12:57, por: cdb

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa ) atingiu os 61 mil pontos, em seu maior patamar desde 16 de julho do ano passado, no início da tarde desta quinta-feira. Ao contrário das apostas por uma realização de lucros com a venda dos papéis mais valorizados,  os investidores seguiam animados com as notícias sobre o fim da recessão nos EUA e a retomada no nível de recuperação da economia global. A taxa de câmbio se mantinha em R$ 1,80.

Na véspera, a Bovespa experimentou uma forte alta, puxada pela parcela dos investidores que “cansou” de esperar pela queda dos preços das ações, o que levou a Bolsa a registrar um volume recorde de 494.430 transações, incluindo as operações do after market, e superar a marca histórica de 15 de julho deste ano, com 444.351 negócios registrados. O Ibovespa, principal índice da Bolsa, que reflete os preços das ações mais negociadas, valorizava 0,84%, aos 60.809 pontos às 12h52.

O dólar comercial era vendido por R$ 1,803, em um acréscimo de 0,27% sobre a cotação do dia anterior. A taxa de risco-país marcava 220 pontos, número 4,76% acima da pontuação anterior. Analistas ouvidos pelas principais agências de notícias econômicas acreditam que o bom momento das Bolsas de Valores vai além das melhores perspectivas para a economia doméstica, mas à soma dos indicadores positivos já divulgados sobre os EUA, estopim da crise mundial do capitalismo

Na véspera, o presidente do Federal Reserve (o BC americano), Ben Bernanke, declarou que a recessão que atinge seu país “provavelmente” já acabou.