Bolsa da China tem a segunda maior queda do ano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 4 de junho de 2007 as 12:27, por: cdb

A Bolsa de Xangai registrou uma forte queda nesta segunda-feira, a terceira no decorrer do ano, ao perder 8,26% em relação ao fechamento de sexta-feira. O movimento foi uma extensão das perdas registradas na semana passada, depois que o governo de Pequim resolveu aumentar o imposto cobrado sobre operações com ações. A queda não se espalhou, entretanto, pelos outros mercados locais.

O retrocesso, depois das turbulências da semana passada, é o mais expressivo desde o “mini-crack” de 27 de fevereiro, quando o índice principal da Bolsa de Xangai perdeu 8,84% e desatou uma onda de pânico nos mercados internacionais.

“A queda é normal hoje, dado que o mercado já subiu muito. Não será uma surpresa se o índice cair para cerca de 3.000 pontos –o que significaria uma correção de 30%”, afirmou Wang Jing, vice-gerente-geral da Everbright Securities. O índice da bolsa de Xangai fechou aos 3.670 pontos.

A forte queda no mercado chinês reduziu os ganhos no Japão, mas não levou a bolsa local para o terreno negativo. A Bolsa de Tóquio, principal mercado do continente asiático, encerrou a sessão em leve alta de 0,08%, com o índice Nikkei 225 a 17.973,42 unidades.

As outras bolsas locais também fecharam em alta: Hong Kong (0,62%), Coréia (1,24%), Indonésia (1,32%), Cingapura (0,87%), Taiwan (0,54%) e Austrália (0,88%).