Boate é acusada de fazer reféns na noite do Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 19 de setembro de 2004 as 19:01, por: cdb

Foi preciso a intervenção da Polícia Militar para que um casal de estudantes fossem liberados de uma boate na Zona Sul do Rio. Os estudantes acusaram os seguranças da boate Bombar, no Leblon, de tê-los mantido em cárcere privado na madrugada deste domingo. Eles disseram, na 14ª Delegacia, no bairro, que os seguranças os impediram, durante mais de uma hora, de deixar o local. Segundo eles, a liberação somente poderia acontecer após o pagamento de uma dívida de R$ 70, embora aleguem ter consumido apenas R$ 21,50.

O impasse somente chegou ao fim quando uma patrulha da Polícia Militar chegou ao local e conduziu o casal para a 14ª DP (Leblon), onde o caso foi registrado como constrangimento ilegal.

– Não existe qualquer placa informando que a casa cobre ingresso. Por isso, quando fui ao caixa sabia que deveria pagar apenas o que tínhamos consumido. Para minha surpresa, o caixa fez as contas e disse que nós devíamos, na verdade, R$ 70. Ou seja, se não tivesse consumido nada teria que pagar R$ 50 de qualquer maneira. Isso é cobrar consumação mínima, que é proibido por lei – protestou o estudante.