Blix: Iraque ainda tem perguntas a responder

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de dezembro de 2002 as 23:39, por: cdb

Após relatar ao Conselho de Segurança das Nações Unidas suas primeiras conclusões sobre o relatório apresentado pelo Iraque, o inspetor-chefe de inspeções de armas da organização, Hans Blix, disse nesta quinta-feira que o governo de Bagdad “desperdiçou a chance” de prestar contas plenamente de seu programa bélico.

Ainda assim, Blix avisou que ainda há tempo para o Iraque atender por completo às exigências da Resolução 1441 do Conselho, a qual regulamentou a volta dos inspetores de armas ao país do Golfo Pérsico.

Blix declarou na sede da ONU, em Nova York, que a declaração de armas entregue pelo Iraque deixou muitas perguntas sem resposta.

“Coincidimos no ponto de vista de que relativamente pouca informação foi dada na declaração, no que diz respeito aos programas de armas de destruição em massa”, expressou.

Por sua vez, Mohamed El-Baradei, chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea) – que partida das inspeções no Iraque, junto com a ONU -, lembrou que os técnicos ainda estão realizando as primeiras fases de vistoria nos locais suspeitos.

Segundo El-Baradei, os inspetores estão avançando, mas precisam “de muito mais cooperação do Iraque em termos de substância, em termos de evidência para que eles (o país) se exonerem e mostrem que estão livres das armas de destruição em massa”.

El-Baradei acrescentou que ainda levará “algum tempo” até que os técnicos cheguem a uma conclusão final sobre a declaração de armas do Iraque.

Por sua vez, o embaixador dos Estados Unidos na ONU, John Negroponte, disse que o Iraque incorreu na “brecha material” prevista na Resolução 1441, a qual determina que o país declare por completo seu programa bélico e erradique as armas.

“Deveria ser óbvio que esse padrão de buracos sistemáticos e brechas na declaração do Iraque não é resultado de acidentes, edição por alto ou erros técnicos”, reagiu Negroponte.

“Essas omissões materiais são, em nossa opinião, outra brecha material”, acrescentou.

A Resolução 1441 prevê que o Conselho de Segurança considere o uso de força militar para desarmar o Iraque caso fique clara uma “brecha material” por parte do país do Golfo Pérsico.

Também nesta quinta-feira, funcionários do Pentágono disseram que as Forças Armadas norte-americanas podem iniciar uma mobilização agressiva de forças na região do Golfo em janeiro – dependendo de decisões que serão tomadas nos próximos dias.

Um alto funcionário revelou que a Casa Branca vê um prazo de um mês, a partir de meados de janeiro, para se decidir sobre uma possível guerra contra o Iraque.