Blair vai homenagear soldados mortos na queda do helicóptero

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de março de 2003 as 12:25, por: cdb

A confirmação de que oito militares britânicos morreram na queda de um helicóptero norte-americano, causando a primeira baixa das forças de coalizão dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, fez Tony Blair dar uma coletiva na manhã desta sexta-feira.

Ele pretende fazer uma homenagem aos soldados mortos e reafirmou que a guerra é necessária para que a democracia sobreviva acima do medo do terrorismo. Segundo Blair, o objetivo do Reino Unido é concluir a operação no Iraque com êxito e com o menor número possível de vítimas.

Nesta sexta-feira, fuzileiros britânicos abriram caminho para a invasão terrestre antes do amanhecer, com uma investida aérea e marítima na costa da península de Al Faw para proteger terminais de petróleo. Pela primeira vez desde o começo da guerra no Iraque, Bombardeiros B-52 também decolaram, pela manhã, da base aérea de Fairford, oeste da Inglaterra.

Os jornais Financial Time, de Londres, e o Le Monde, de Paris, questionam em suas edições desta sexta-feira, se a guerra contra Saddam realmente deixará todos dormirem em paz, sem medo de ataques terroristas.

As redes de televisão BBC e ITV fazem cobertura com imagens direto de Bagdá por 24 horas seguidas.

No começo do mês, um em cada nove ingleses apoiavam a guerra. Depois de uma massiva exposição na TV, na semana passada, falando sobre a necessidade de uma ofensiva militar ao Iraque, parece que Tony Blair conseguiu convencer a população. Segundo informações da BBC, agora 55% da população aprova a guerra contra Saddam.

Manifestações contra à guerra continuam

Apesar disso, as manifestações contra à guerra não param. Somente nesta quinta-feira, três manifestações pararam Trafalgar Square, um dos principais pontos turísticos da cidade, próximo ao Palácio de Backham e ao Big Ben. As sirenes dos carros da polícia, que esta em alerta máximo, são ouvidas freqüentemente.

Alguns pontos de Londres estão fechados, como a ponte feita sobre o Rio Tamisa, para comemorar o ano 2000, também no centro da cidade.

O que se pode notar é que a cidade está suja, pois não há cestos de lixo, por serem considerados um bom local para eventual colocação de bombas por terroristas.

Algumas pessoas se mudaram para o interior da Inglaterra e outras tantas fazem estoques de alimentos, o que é considerado um exagero pelo Governo.