Bispos católicos dos EUA condenam casamento gay

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 13 de novembro de 2003 as 11:17, por: cdb

O casamento é uma união exclusiva entre um homem e uma mulher e, portanto, as uniões entre pessoas do mesmo sexo não podem receber os mesmo benefícios legais concedidos a casais, declarou ontem a Conferência de Bispos Católicos dos Estados Unidos. Os prelados afirmaram que negar benefícios sociais e econômicos a casais do mesmo sexo não significa discriminação contra casais homossexuais. – Não é injusto negar status legal a uniões entre pessoas do mesmo sexo porque casamento e uniões do mesmo sexo são realidades essencialmente diferentes – disse a organização em um comunicado.

Após um debate no encontro anual dos bispos, o comunicado foi aprovado com 234 votos a favor, 3 contra e 3 abstenções. “Há uma ampla discussão em todas as partes do país… portanto, eles acham importante defender o casamento como eles o vêem, porque é um tópico em discussão hoje em dia”, disse o porta-voz da Conferência, Bill Ryan.

O documento, chamado Entre Homem e Mulher: Perguntas e Respostas Sobre Casamento e Uniões entre o Mesmo Sexo, diz que seria errado redefinir casamento a fim de prover benefícios para aqueles que não podem se casar de maneira legal. O texto conclui que os casamentos são controlados por leis civis e pela Igreja, que “sua natureza e propósitos são estabelecidos por Deus”, só podem ser a união entre um homem e uma mulher e precisam ser protegidos.

O anúncio dos bispos dos EUA reflete o documento emitido em julho pelo Vaticano condenando as uniões entre pessoas do mesmo sexo como uma depravação e ameaça à sociedade. As leis dos EUA definem o casamento como a união de uma mulher e um homem e casamentos gays são proibidos, mas o Estado de Vermont permite uniões civis entre pessoas do mesmo sexo.

O debate sobre casamento gay intensificou-se nos EUA desde que o Canadá atuou para legalizar tais uniões e a Suprema Corte norte-americana derrubou as leis de sodomia. Tribunais dos Estados de Massachusetts e New Jersey estão decidindo sobre ações abertas por casais gays que querem ter o direito de se casar.

Críticos conservadores dizem que a decisão das cortes pode abrir o caminho para casamentos entre pessoas do mesmo sexo nos EUA. Uma emenda constitucional para proibir casamentos gays foi apresentada à Câmara dos Deputados dos EUA em maio, mas ainda não foi analisada. Grupos de defesa dos direitos dos gays dizem que a emenda seria uma discriminação de casais do mesmo sexo, principalmente os que têm filhos.