Bin Laden é caçado no Sul do Afeganistão após enfraquecimento de defesa talebã

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 15 de novembro de 2001 as 11:52, por: cdb

Com a queda de consecutivas cidades que estavam em poder da milícia fundamentalista islâmica Talebã no Afeganistão, os Estados Unidos passaram a concentrar seus esforços na captura de Osama bin Laden e no desmantelamento de sua rede terrorista, a Al Qaeda.

As Forças Especiais norte-americanas, que já estavam na capital, Cabul, estão avançando em diversas frentes nesta quinta-feira. O próximo alvo seria a cidade da Kandahar, sede do regime Talebã, protetor de bin Laden.

Autoridades de Washington relataram rebeliões contra o Talebã na área de Kandahar, no sul do território afegão, apesar da convocação do mulá Mohammad Omar, líder supremo da milícia, para que seus combatentes se reorganizassem e continuassem lutando.

Guerreiros da tribo Pashtun, até pouco leais ao Talebã, estariam se rebelando e buscando abrigo nas montanhas.

No outro extremo do Afeganistão, caças norte-americanos acabaram, na manhã desta quinta-feira, com o único bolsão real de resistência do Talebã no norte do país, bombardeando posições ao redor de Kunduz.

Sayaf Baick, um dos comandantes da Aliança do Norte, disse que o bombardeio abriu caminho para uma iminente ofensiva terrestre das forças de oposição contra Kunduz, cidade localizada entre as estratégicas Mazar-e-Sharif e Taloqan, perdidas esta semana pelos talibãs.

Recompensa por bin Laden

Em Washington, o presidente norte-americano George W. Bush afirmou que os Estados Unidos e seus aliados obtiveram ganhos expressivos no Afeganistão.

“Nossos soldados estão em terra e estão caçando”, disse Bush, referindo-se claramente a bin Laden, a quem os norte-americanos culpam pelos atentados de 11 de setembro contra Washington e Nova York.

Assessores de Bush disseram que o governo está preparado para enviar tropas para as cavernas e montanhas no sul do Afeganistão, que servem de esconderijo para os talibãs, com o objetivo de achar bin Laden.

O vice-presidente Dick Cheney foi ainda mais enfático. Bin Laden, cuja cabeça vale uma recompensa de cinco milhões de dólares, tem cada vez menos opções.

Em entrevista à rede de televisão CBS, Cheney declarou que bin Laden “tem que se mudar dramaticamente de um lugar para o outro, para ficar à frente das forças de oposição que avançam”.

“As circunstâncias em terra mudaram drasticamente em poucos dias. Áreas que provavelmente eram seguras para ele há 48 ou 72 horas, agora não são mais. Vamos continuar atrás dele até fazê-lo sair da toca”, acrescentou Cheney.

Um porta-voz do Talebã, citado pela agência AIP (Imprensa Islâmica Afegã), com sede no Paquistão, negou os rumores de que bin Laden já teria sido capturado.

“A América jamais prenderá Osama bin Laden vivo”, disse o mulá Abdullah.

Quanto ao mulá Omar, o porta-voz afirmou que o líder supremo dos talibãs permanece em Kandahar. “O comando ainda está nas mãos do mulá Omar. O Talebã o obedece completamente”, encerrou.