Bermudas e a Flórida são ameaçadas por Furacão Fabián

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 4 de setembro de 2003 as 15:58, por: cdb

Enquanto o furacão Fabián vai para as Bermudas, o Henri pode se tornar hoje a décima segunda tempestade tropical da temporada do Atlântico antes de chegar à costa oeste da Flórida (EUA). O Centro Nacional de Furacões (CNH), com sede em Miami, disse que “Fabián continua em sua trajetória norte-noroeste a cerca de 19 quilômetros por hora e afirmou que “passará próximo, ou sobre, as Bermudas nas próximas 24 ou 36 horas”.

As autoridades das Bermudas emitiram um aviso de furacão para toda a ilha. O CNH afirmou que às 11h (12h de Brasília) o centro da tempestade Fabián estava próximo aos 25,2 graus de latitude norte e aos 64,0 graus de longitude oeste, ou seja, cerca de 805 quilômetros ao sul das Bermuda.

O furacão perdeu um pouco de força, passando da categoria três para a um na escala de intensidade Saffir-Simpson, que vai do um a cinco, e seus ventos máximos constantes alcançam cerca de 195 quilômetros por hora, com rajadas mais fortes. Os ventos do furacão Fabián atingem um raio de até 110 quilômetros a partir de seu centro.

Enquanto isso, a décima segunda depressão tropical da temporada, que se formou na quarta-feira no Golfo do México, ameaça se transformar na oitava tempestade tropical Henri, antes de tocar o litoral noroeste da Flórida. Um aviso de tempestade tropical foi dado para a costa do golfo da Flórida, de Englewood até Paso de los Indios.

De acordo com o boletim do CNH, o centro do sistema estava às 12.00 de Brasília de hoje perto dos 27,9 graus de latitude norte e dos 87,1 graus de longitude oeste. Ou seja, cerca de 262 quilômetros ao sudoeste da cidade de Apalachicola. Seus ventos máximos constantes eram de 55 quilômetros por hora, com rajadas mais intensas, e os meteorologistas prevêem que se transforme na tempestade Henri nas próximas horas. Uma depressão se transforma em tempestade quando seus ventos máximos constantes alcançam os 63 quilômetros por hora.

A temporada de furacões no oceano Atlântico começou em primeiro de junho e acaba em 30 de novembro. O especialista em furacões da Universidade do Colorado, William Gray, previu no início da temporada a formação de 14 tempestades tropicais e oito furacões no Atlântico, dos quais três poderiam se tornar grandes ciclones. Até o momento surgiram sete tempestades e três furacões, incluindo o Fabián.