Belo vai a fórum do Rio para ouvir sentença

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 16 de janeiro de 2003 as 00:59, por: cdb

O cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, compareceu hoje ao fórum do Rio para tomar conhecimento de sua condenação a seis anos de prisão por associação para o tráfico de drogas, afirma o TJ (Tribunal de Justiça) do Estado.

Ele não esteve, porém, no cartório do fórum, como estava previsto. O cantor teria sido comunicado de sua condenação em uma sala reservada.

A comunicação da sentença ocorreu sob sigilo. Belo não foi visto e não há confirmação sobre o horário em que o cantor esteve no local.

Até o final da tarde, a assessoria do TJ desconhecia a presença do cantor e havia informado que o juiz Enos da Costa Palma, da 34ª Vara Criminal, iria intimar Belo para que tomasse conhecimento, oficialmente, da sentença, dada em 30 de dezembro do ano passado pela juíza Rute Viana.

Os advogados de defesa do cantor, que pode recorrer em liberdade, haviam dito que encaminhariam à Justiça um documento assinado por Belo no qual ele declara que tomou conhecimento da sentença.

Outras 13 pessoas condenadas no mesmo processo e que estão presas estiveram no local por volta das 13h. Foram comunicadas da sentença em uma carceragem.

A partir da comunicação oficial da sentença, os advogados dos acusados têm cinco dias para recorrer.

A defesa de Belo deverá alegar falta de provas para a condenação. O Ministério Público também deverá recorrer por considerar pequena a sentença.

Suspeitas
As suspeitas de envolvimento de Belo com traficantes surgiram a partir de grampos, autorizados pela Justiça, e divulgados em maio de 2002. Os grampos revelaram conversas entre o cantor e Waldir Ferreira, o Vado, apontado pela polícia como gerente do tráfico na favela do Jacarezinho (zona norte).

Vado foi morto dia 20 de agosto, durante confronto com policiais militares na favela.

Nas conversas telefônicas interceptadas, o traficante pede R$ 11 mil para comprar um “tecido fino”. Em troca, daria um ‘tênis AR’ para Belo. Para a polícia, o “tecido fino” é cocaína e o tênis, um fuzil AR-15.

Ao todo, 21 pessoas foram indiciadas no processo, entre elas Vado (já morto) e o traficante Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, principal acusado pelo assassinato do jornalista Tim Lopes. O crime ocorreu em 2 de junho do ano passado no complexo do Alemão (zona norte). Elias Maluco foi preso dia 20 de setembro, durante operação policial.

Prisão
A prisão preventiva de Belo foi decretada em 29 de maio, mas ele se entregou depois de passar uma semana foragido.

O cantor ficou detido na carceragem da DAS (Delegacia Anti-Sequestro), no Leblon, zona sul, por 37 dias, até ser beneficiado pelo habeas corpus concedido pelo presidente do STF, ministro Marco Aurélio de Mello, durante o recesso do judiciário.

Em 8 de agosto, a ministra Ellen Gracie Northfleet, do STF (Supremo Tribunal Federal), revogou o habeas corpus.

A partir daí, a Justiça julgou recursos que pediam o restabelecimento da prisão do cantor, mas ele permanece em liberdade.