Belgrado e Kosovo se mostram dispostos a iniciar primeiro diálogo político

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 21 de junho de 2003 as 15:35, por: cdb

As autoridades de Sérvia e Kosovo se mostraram dispostas neste sábado, a iniciar conversações sobre “assuntos de interesse mútuo” antes do final de julho, o que será o primeiro diálogo político direto desde o final da última guerra dos Bálcãs, em 1999.

O anúncio foi realizado pelo alto Representante da Política Externa e de Segurança Comum da UE, Javier Solana, em entrevista coletiva ao término da segunda cúpula entre os líderes da UE e dos Bálcãs ocidentais.

– Quero destacar algo que emanou desta cúpula. Fico feliz que Belgrado e Pristina tenham claramente expressado sua vontade de empreender um diálogo concreto sobre problemas de interesse comum e esse diálogo começará antes do final de julho – disse Solana.

As autoridades de Kosovo (província sérvia de maioria independentista albanesa) e Belgrado ainda não começaram as negociações para estabelecer o status definitivo desta província separatista com relação à Sérvia.

– O processo de agora não é o início do diálogo sobre o status do Kosovo, já que se falará de assuntos práticos, que afetam a vida cotidiana, como energia e transportes, assim como questões um pouco mais políticas – declararam fontes do Conselho da UE.

Este já é um primeiro efeito do diálogo da cúpula de Salônica, na qual a UE abriu a perspectiva de uma futura adesão dos cinco países dos Bálcãs ocidentais (Bósnia-Herzegovina, Croácia, Albânia, Macedônia e Sérvia e Montenegro), especificou Solana.

Porém, pouco depois do anúncio de Solana, as partes expressaram abertamente suas diferenças com relação ao objetivo do diálogo.

O primeiro-ministro de Sérvia e Montenegro, Zoran Zivkovic, disse em entrevista coletiva que seu objetivo é falar de questões políticas e não meramente técnicas, como pretendem os kosovares, que querem falar dos registros de carros kosovares (não reconhecidos por Belgrado).

– Queremos falar de segurança no Kosovo, do retorno de refugiados e dos desaparecidos depois da guerra – reiterou.

O presidente do Kosovo, Ibrahim Rugova, declarou que está dispostos a dialogar sobre questões práticas.

– O reconhecimento formal da independência de Kosovo é a melhor via para acelerar sua integração na UE e na Otan. Isto contribuirá para a estabilidade não só do Kosovo, mas da região – acrescentou Zivkovic.