Beira-Mar pode ser transferido para Santa Catarina

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de maio de 2003 as 14:45, por: cdb

A superintendência da Polícia Federal, em Florianópolis, Santa Catarina, é o provável futuro endereço do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, que deve deixar a carceragem da Polícia Federal em Alagoas, onde permanece sob custódia desde do dia 27 de março, nas próximas 72 horas.

As informações foram repassadas por dois policiais federais, que acompanham o final das negociações para tirar Fernandinho Beira-Mar de Alagoas, que também anteciparam a possibilidade do traficante ser levado para o Mato Grosso ou Ceará.

A opção por Santa Catarina vem sendo defendida pelo superintendente da Polícia Federal em Alagoas, delegado Paulo Rubim, ex-superintendente naquele estado, e pela direção-geral da Polícia Federal, que vem encontrando resistências para transferir Beira-Mar para o Espírito Santo, São Paulo e Brasília, apontadas como as primeiras opções para a custódia do traficante carioca.

O apoio do governador de Santa Catarina, Luiz Henrique (PMDB), também vem sendo avaliado como um ponto positivo para a transferência do traficante para a carceragem da Polícia Federal do estado, que é considerada uma das mais modernas do país.

Relatórios

Os policiais federais revelaram que relatórios produzidos pelas superintendências do Espírito Santo, São Paulo e Brasília, consideradas as opções mais prováveis para a transferência de Fernandinho Beira-Mar, preocupam a direção-geral da Polícia Federal, que decidiu avaliar outras alternativas para a custódia do traficante carioca. No Espírito Santo, considerado uma das filiais do poder dos narcotraficantes no país, preocupa a proximidade com o Rio de Janeiro e o forte poder do crime organizado no Estado.

Em São Paulo, a resistência do governador Geraldo Alckmin(PSDB), que não aceita a presença do traficante por mais de 30 dias, vem pesando na decisão do Ministério da Justiça.

Já em Brasília, o superintendente da polícia Federal apresentou um relatório da Corregedoria da Polícia Federal apontando o risco da transferência do traficante Fernandinho Beira-Mar. O relatório revela que as celas de custódia da superintendência estão lotadas e faz um alerta para os casos da cantora mexicana Glória Trevi, que ficou grávida durante o período em que esteve em uma das celas da superintendência, e do próprio Fernandinho Beira-Mar, que comandava as ações do tráfico no Rio de Janeiro e dava ordens, da sua cela na superintendência de Brasília, para a execução de seus rivais.

Indefinições

As três opções ainda não foram descartadas totalmente pelo Ministério da Justiça, mas como há uma forte resistência contra a presença do traficante carioca nesses três estados – cresce a possibilidade da mudança do destino de Fernandinho Beira-Mar. Os custos financeiros também estão sendo avaliados e podem ajudar na definição da direção- geral da Polícia Federal, que já gastou mais de R$ 400 mil com a permanência do traficante no estado de Alagoas.

Pelo acordo entre o Governo de Alagoas e o Ministério da Justiça, o prazo para a permanência do traficante carioca não ultrapassaria 40 dias, que termina na próxima terça-feira.

O governador de Alagoas, Ronaldo Lessa (PSB), aceitou a transferência de Beira-Mar com a promessa da liberação de R$ 22 milhões do Governo Federal para o setor de segurança pública do Estado. Os recursos ainda não foram liberados por irregularidades nos projetos do Estado enviado ao Ministério da Justiça. Mesmo sem o dinheiro federal, o governador Ronaldo Lessa já conseguiu se aproximar do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que garantiu alguns cargos federais para o PSB de Alagoas.

A operação para a transferência do traficante Fernandinho Beira-Mar já está pronta e vai contar com um aviâo bimotor, um helicóptero, 42 agentes federais, 3 delegados e vários veículos especiais, que vão ser mobilizados para acompanhar o percurso entre a sede da Polícia Federal em Alagoas, no bairro do Jaraguá, e o aeroporto Zumbi dos Palmares, no municíp