BC liqüida cooperativas e Ferreira fica mais perto do impeachment

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 11 de outubro de 2001 as 17:34, por: cdb

O Banco Central decretou, nesta quinta-feira, a liquidação extrajudicial da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores das Escolas Técnicas e Agrotécnicas Federais do Espírito Santo Ltda (Coopetfes), com sede em Vitória, capital do estado do Espírito Santo. A razão principal foi um empréstimo de R$ 19,6 milhões, contraído entre 1998 e 2000 e que não foi pago.

O beneficiário foi o associado Raimundo Benedito de Souza Filho, tesoureiro da campanha do governador do Espírito Santo, José Ignácio Ferreira, que enfrenta um processo de impeachment. A carteira de crédito da cooperativa era de R$ 21 milhões.

O diretor de Finanças Públicas e Regimes Especiais e Diretor Interino de Fiscalização do Banco Central, Carlos Eduardo de Freitas, informou que só poderiam ser emprestados R$ 200 mil a um único associado, e o montante retirado representa 10 por cento do patrimônio líquido da Coopetfes. Os 762 cooperados terão que arcar com o prejuízo da liquidação.

Freitas disse que foram comprovadas outras irregularidades na cooperativa, como a captação de depósitos de quem não era associado. Para se ter uma idéia das irregularidades, dos 10 maiores depositantes só dois eram cooperados.

Entre esses depositantes irregulares, havia entidades públicas da administração estadual, o que, para o diretor do Banco Central “é mais absurdo ainda”.

Essas entidades, que aplicaram R$ 9 milhões na Coopetfes, são a Secretaria de Educação do Espírito Santo, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e a Companhia de Saneamento do Estado (Sesan).