BB e Caixa reduzem juro e deixam bancos privados sob pressão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 5 de abril de 2012 as 18:12, por: cdb

BB e Caixa reduzem juro e deixam bancos privados sob pressãoNa segunda-feira (9) após a Páscoa, a Caixa anunciará programa de redução das taxas de juro semelhante ao já divulgado pelo Banco do Brasil, cuja tarifa do rotativo do cartão de crédito caiu de 12% para 3% em alguns pacotes de serviços. Com essas medidas, bancos públicos ecoam pressão da presidenta Dilma por queda nos spreads e ainda almejam mais faturamento com expansão da carteira de crédito, mesma estratégia do início da crise internacional, em 2008.

Da Redação

São Paulo – A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (5) que seguirá a estratégia do Banco do Brasil (BB) e cortará as taxas de juros para pessoas físicas e jurídicas. O detalhamento do programa Caixa Melhor Crédito, como foi denominada a nova estratégia, será feito na manhã de segunda-feira (9).

“Na ocasião, serão anunciados os cortes nas taxas de juros e demais ações para democratizar o acesso ao crédito às famílias brasileiras, além de melhores condições de financiamento para micro e pequenas empresas”, anunciou a empresa, em nota.

Na última quarta-feira (4), o BB havia anunciado o programa Bompratodos, com um conjunto de medidas para reduzir juros e ampliar os limites de crédito dos clientes.

“Vamos reduzir os spreads, aumentar a oferta de crédito, estimular o uso consciente do crédito e ainda atrair novos clientes no contexto da Livre Opção Bancária”, disse o presidente do BB, Aldemir Bendine.

Os assalariados que recebem por meio do BB e optarem por aderir aos novos pacotes de serviços serão alguns dos beneficiados. Para esses clientes, a taxa de juros do rotativo do cartão de crédito será de 3% ao mês, ante uma taxa média atual é de 12,25%.

Para as linhas voltadas à aquisição de bens e serviços de consumo, os juros médios serão reduzidos em 45%. No financiamento de veículos, com crédito pré-aprovado e sem tarifas embutidas, a queda será de pelo menos 19%. Assim, o cliente poderá financiar a aquisição de veículos com taxa de juros a partir de 0,99% ao mês.

Com as novas medidas, BB e Caixa se alinham à presidente Dilma em um esforço para redução dos spreads. Considerados fora do padrão internacional no Brasil, eles tornar-se-ão mais baixos entre BB e Caixa, mas seguem elevadíssimos nas instituições privadas – agora pressionadas a abaixá-los também.

Essa experiência inovadora do BB e da Caixa guarda referências no início da crise financeira internacional, em 2008. Naquele período, os dois bancos foram orientados pelo governo federal a ampliarem a oferta de crédito, em ação anticíclica para enfrentar os riscos de recessão.

O curioso é que além de terem colaborado para o avanço econômico do país, os dois bancos ganharam dinheiro com a expansão de suas carteiras de crédito – o BB, por exemplo, registrou lucros recordes em 2009.

Fotos: Arquivo