Barcelona desperdiça chance de vantagem em confronto direto contra o Real Madrid

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 23 de março de 2015 as 11:36, por: cdb
O confronto direto é usado antes do saldo de gols como critério de desempate para o título
O confronto direto é usado antes do saldo de gols como critério de desempate para o título

 

A vitória por 2 a 1 do Barcelona em cima do Real Madrid no clássico de domingo pode ter colocado o clube catalão quatro pontos à frente do arquirrival na Liga Espanhola, mas o Barça ainda pode lamentar não ter aproveitado as chances no segundo tempo de conquistar a vantagem no confronto direto.

Caso o Real consiga empatar o número de pontos com seu maior rival nos 10 jogos restantes da temporada -e no papel os próximos jogos do Real são mais fáceis- vai conquistar o título por conta da vitória de 3 a 1 sobre o Barcelona em outubro.

O confronto direto é usado antes do saldo de gols como critério de desempate para o título, a exemplo da temporada 2006-2007, quando o Real foi campeão apesar de ter feito 12 gols a menos e levado sete a mais do que o Barcelona.

Mas, por enquanto, qualquer desapontamento que o técnico do Barcelona, Luis Enrique, e os jogadores possam estar sentindo nesta segunda-feira serão apagados pelo prazer de derrotar o Real Madrid no Camp Nou, graças ao gol de Luis Suárez aos 11 do segundo tempo.

Diante de quase 100 mil torcedores no estádio e de milhões de pessoas espalhadas pelo mundo, Jérémy Mathieu colocou o Barcelona na frente aos 19 minutos, antes de Cristiano Ronaldo empatar aos 31. Suárez decidiu a vitória na etapa final.

– Até o momento é o gol mais importante que já marquei pelo Barça e tem um significado extra, considerando contra quem estávamos jogando – disse Suárez a repórteres, sem esconder a alegria. O jogador estreou pelo clube no clássico de outubro, após quatro meses de suspensão por morder o zagueiro italiano Chiellini na Copa do Mundo de 2014.

– Ainda há um longo caminho pela frente e sabemos que ganhar o campeonato vai ser bem difícil – completou o atacante uruguaio. “Assim como em todas as ligas, você nunca sabe o que pode acontecer se relaxar um pouco”.

O técnico do Real, Carlo Ancelotti, e seus jogadores, no entanto, estarão pensando como deixaram escapar a partida em que pareciam estar no controle após o empate com o gol de Ronaldo.

O português ficou quase completamente anônimo no segundo tempo, assim como o ponta Gareth Bale, que não causou impacto.

– No final sofremos por conta de uma pequena falta de tranquilidade nos nossos esforços para empatar – disse Ancelotti durante coletiva de imprensa.