Barack Obama e Merkel demonstram harmonia na Baviera

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 7 de junho de 2015 as 10:22, por: cdb
Sol, trajes típicos, salsicha e cerveja: cenário para o encontro entre a chanceler federal Angela Merkel e o presidente americano, Barack Obama, não poderia ter sido mais idílico, pouco antes do início da cúpula do G7
Sol, trajes típicos, salsicha e cerveja: cenário para o encontro entre a chanceler federal Angela Merkel e o presidente americano, Barack Obama, não poderia ter sido mais idílico, pouco antes do início da cúpula do G7

 

Pouco antes da abertura da cúpula do G7, grupo que reúne sete das economias mais industrializadas do mundo, Merkel e Obama tomaram juntos um café da manhã bávaro no vilarejo de Krün, nas proximidades do Hotel Castelo Elmau, onde se iniciou neste domingo a reunião do seleto grupo.

Os dois líderes se mostraram como amigos e aliados, apesar das “diferenças de opinião” que, segundo a chanceler federal, pode haver entre os dois países: “Apesar das nossas diferenças de opinião, os Estados Unidos são nossos amigos, nossos aliados, um aliado essencial com quem cooperamos estreitamente em interesse mútuo.”

Obama, por sua vez, destacou “uma das alianças mais firmes que existem no mundo”, em alusão à amizade entre os dois países, mas evitou falar das últimas divergências entre as duas potências, depois da revelação dos programas de espionagem norte-americana em solo alemão.

O presidente norte-americano aproveitou a ocasião: com sorrisos, apertos de mão e acenos constantes. Para a alegria dos visitantes, o seu discurso teve início com um “Grüss Gott” (saudação de bom dia na região da Baviera) em alemão.

Diante dos moradores de Krün, reunidos com trajes típicos bávaros, Obama mostrou-se agradecido pela “amizade e liderança” da Alemanha na Otan, na União Europeia e no contexto internacional. “Estou aqui em agradecimento pela história comum”, declarou o chefe de governo.

Barack Obama lembrou os principais pontos da reunião do G7, em concreto a sua determinação de “fazer frente à agressão da Rússia na Ucrânia”.

Em termos econômicos, Obama recordou que, nesta cúpula, foram abordadas as bases de uma economia global que crie postos de trabalho e também um futuro de prosperidade e bem-estar na União Europeia, sem esquecer temas como a cooperação internacional contra os extremismos religiosos e a luta contra as mudanças climáticas.

Em tom de brincadeira, Barack Obama lamentou ter esquecido as suas calças de couro, parte essencial do traje bávaro e com um “Vielen Dank” (muito obrigado) em alemão, encerrou seu discurso, antes de sentar-se à mesa para o café da manhã, acompanhado por fanfarras e um desfilo típico. O encontro folclorístico entre Merkel e Obama durou cerca de 45 minutos.