Bancos privados reduzem juros para não perder clientes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de abril de 2012 as 10:35, por: cdb

Em nota publicada nesta quarta-feira (18), os bancos privados indicaram que vão aderir à rodada de corte nos juros iniciada pelo Banco do Brasil e pela Caixa Econômica Federal.
De acordo com a nota, os bancos vão esperar a “poeira baixar” para oferecer taxas e tarifas mais competitivas.
Um dos diagnósticos apresentados como justificativa pelos bancos, é que, se não reduzirem as taxas, vão perder clientes para instituições públicas. Isso porque as pessoas jurídicas têm a cultura de operar com mais de três bancos e costumam “fazer cotações” antes de tomar empréstimos.

Na semana passada, declaração do presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal, que indicava que a redução dos juros dependia da adoção de medidas do governo, irritou o ministro Guido Mantega (Fazenda).

Na oportunidade, Mantega respondeu afirmando que nenhuma medida será adotada até que os bancos privados reduzam os juros.

Santander

Nota publicada nesta terça-feira (17), informou que o Santander saiu na frente e reduziu os juros para micro e pequenas empresas. Neste banco, os juros para os lojistas “adiantarem” faturas de cartões caiu do intervalo de 2,54% a 3,27% ao mês para entre 1,5% e 2%.

Bradesco

O Bradesco anunciou nesta quarta-feira (18) cortes dos juros, após a decisão do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal, do HSBC e do Santander de reduzir as taxas, nos últimos dias. As novas taxas de juros e limites, sujeitos a aprovação de crédito, entram em vigor na próxima segunda-feira (23).

Dentre as ações, está a redução da taxa mínima do crédito pessoal cairá de 2,66% para a partir de 1,97% ao mês. Na linha CDC Bens, a taxa será reduzida de 3,54% para a partir de 2,97% ao mês. No caso do financiamento de veículos, a taxa, que era 1,35%, passará a ser a partir de 0,97% ao mês. Nas operações de crédito consignado para os aposentados, o Bradesco reduziu a taxa de 1,32% para a partir de 0,9% ao mês.

Além disso, os cartões de crédito emitidos em parceria com redes varejistas terão taxas para parcelamento com juros a partir de 2,49% ao mês, com prazo de até 24 meses.

Itaú

Também nesta quarta-feira (18), o Itaú decidiu reduzir as taxas de juros a seus clientes. Dentre as ações, houve redução do financiamento de veículos, a taxa mínima caíra de 8% e será de 0,99% ao mês. A taxa será válida para clientes correntistas há mais de um ano, em operações com 50% de entrada e parcelamento em até 24 meses. Nos empréstimos consignados para beneficiários do INSS, a taxa mínima foi reduzida para 0,89%, e a máxima, para 2,2% ao mês.

De acordo com o Itaú, os juros para os clientes que optarem por esse novo pacote terão redução de até 47%. É o caso da taxa mínima do cheque especial, que será reduzida para 1,95% ao mês. No cartão de crédito, o rotativo passará a ter taxas mínimas a partir de 3,85% ao mês.

Spread

A avaliação é que, para os juros caírem de forma prolongada, é preciso debater a estrutura atual do “spread” (diferença entre o que o banco paga para captar o dinheiro e o que cobra dos clientes).

Outro forte peso na balança são os depósitos compulsórios, parcela do dinheiro captado retida no Banco Central.

Com agências

 

..