Bancos de sangue são obrigados a realizar novo exame para hepatite C

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 15 de dezembro de 2002 as 19:07, por: cdb

A partir de 1º fevereiro de 2003, os bancos de sangue dos hospitais privados e da rede pública do País serão obrigados a realizar o novo exame contra a hepatite C, o NAT (teste de amplificação e detecção de ácidos nucléicos).

“A forma mais comum de contaminação é pelo sangue. Por isso, garantir a qualidade do sangue nas transfusões é fundamental”, afirmou o presidente da Sociedade Brasileira de Hematologia, Dante Langhi.

Ele ressaltou que este exame detecta mais rápido o vírus que causa a hepatite. Hoje esta identificação demora 80 dias. Com o novo exame esse tempo diminuirá para 20 dias. O presidente disse que a identificação precoce das hepatites B e C é fundamental para combater a doença.

A Organização Mundial de Saúde estima que cerca de dois bilhões de pessoas já tiveram contado com o vírus da hepatite B. No Brasil, o Ministério da Saúde estima que pelo menos 70% da população já teve contato com o vírus da hepatite A e 15% com o vírus da hepatite B. Isso significa que devem existir cerca de dois milhões de portadores crônicos de hepatite B e três milhões de portadores da hepatite C, que é considerada o tipo mais grave.

Em 2001, foram feitas 15.869 internações de pacientes com hepatites virais, ao custo para rede SUS de R$ 3,7 milhões. Além disso, o Ministério da Saúde gastou mais de R$ 15 milhões na compra dos medicamentos Rivabirina, específico para hepatite C, e Interferon Alfa, utilizado no tratamento de hepatites B e C.

Em geral, disse o médico, o paciente só descobre na fase crônica, que pode demorar até 30 anos para se manifestar. “Com a adoção do NAT, uma pessoa saberá que está doente em 20 dias depois da realização do exame. Pelo sistema anterior, a janela imunológica superava os 80 dias”, informou Langhi.

O presidente da Sociedade de Hematologia disse que os hospitais privados já estão se adequando para atender os doadores com o novo exame. O ministério da Saúde lançou no dia 26 de novembro a Campanha Educativa Nacional de Prevenção e Controle das Hepatites Virais, que inclui, além da Hepatite C, os tipos A e B.

O objetivo da campanha é mostrar à população como se prevenir e sensibilizar os profissionais de saúde para essas doenças. Serão distribuídos um milhão de folderes e 100 mil cartazes em todo o país. A campanha tem como objetivo mostrar à população como se prevenir e sensibilizar os profissionais de saúde para essas doenças.

Para ajudar a diagnosticar a doença também serão distribuídos 260 mil exemplares da cartilha “Hepatites Virais: o Brasil” para secretarias estaduais e municipais de Saúde e médicos.

A publicação é um manual técnico direcionado para os profissionais de saúde, que trata da nova estrutura de atendimento das hepatites virais no Sistema Único de Saúde (SUS), além de atualizar os avanços no diagnóstico e tratamento das hepatites virais.