Banco relata lucro líquido acima de R$ 1 bilhão e retomada do crédito

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010 as 13:28, por: cdb

O Santander Brasil teve lucro líquido de R$ 1,591 bilhão no quarto trimestre, resultado que se compara ao ganho de R$ 906 milhões um ano antes. A carteira de crédito da subsidiária do banco espanhol terminou dezembro em R$ 138,394 bilhões, avanço de 1,7% em 12 meses e de 4,1% contra o encerramento do terceiro trimestre. “O crédito mostrou sinais de recuperação quando comparado com o trimestre anterior. A recuperação do ritmo de crescimento dos segmentos de financiamento ao consumo e de pequenas e médias empresas é evidente”, afirma o Santander Brasil no balanço.

A carteira de crédito voltada à pessoa física nos últimos três meses do ano passado somou R$ 43,352 bilhões, crescimento de 2,2% sobre o terceiro trimestre. Os financiamentos a pequenas e médias empresas subiram 4,5% nessa comparação e para grandes empresas houve alta de 7,7%, para R$ 37,998 bilhões. A despesa de provisão para créditos de liquidação duvidosa caiu 26,6% do terceiro para o quarto trimestres, para R$ 2,275 bilhões. Enquanto isso, o índice de inadimplência acima de 90 dias alcançou 7,2% nos últimos três meses do ano, queda de 0,5 ponto percentual no trimestre, “já sinalizando o começo de um ciclo de melhora da qualidade do crédito”.

No segmento de pessoa jurídica, a queda foi mais acentuada no trimestre, passando de 6,1% no terceiro trimestre, para 5,3% no quarto. Para pessoa física, a inadimplência caiu 0,4 ponto percentual em três meses, para alcançando 9,3%. O banco informou que os dados comparativos referentes a 2008 são pro forma, considerando como se o Santander tivesse consolidado o banco Real a partir de 1o de janeiro de 2008. A inclusão dos números do Real ocorreu em agosto daquele ano.

O Santander fechou 2009 com ativos totais de R$ 315,973 bilhões, crescimento de 7,4% sobre o ano anterior. O Santander Brasil protagonizou em outubro do ano passado a maior oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do Brasil, levantando R$ 14,1 bilhões na operação.