Bancários protestam em São Paulo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 16 de dezembro de 2002 as 16:03, por: cdb

Funcionários de oito agências do Unibanco e sete do HSBC da Zona Leste de São Paulo protestaram na manhã desta segunda-feira, contra as demissões que estes bancos vêm fazendo nas últimas semanas. As manifestações integram uma agenda realizada para denunciar as demissões nos bancos, que em nada se assemelham a processos de rotina como a administração das instituições bancárias costuma argumentar.

O Sindicato dos Bancários de São Paulo e Osasco recebeu denúncias de que o HSBC pretende demitir dois mil funcionários em todo o país. Embora não haja confirmação, parece que as denúncias têm fundamento, porque só na semana passada, o HSBC demitiu mais de 100 funcionários.

No Unibanco, a onda de demissões começou há um mês e já foi objeto de protestos dos bancários no dia 27 de novembro, quando mais de três mil funcionários do edifício Barão de Iguape, na praça do Patriarca e da USB (Unidade de Serviços Bancários), na avenida São João, paralisaram os trabalhos.

Segundo a diretoria do Sindicato, os protestos continuarão até que os bancos parem com as demissões e abram negociação séria sobre o problema. “Demissão de rotina é bem diferente do processo a que estamos assistindo agora de desemprego em massa. É vergonhoso que bancos como o Unibanco e HSBC caminhem na contramão dos interesses nacionais, no momento em que vários segmentos sociais estão procurando se unificar em busca de um projeto de geração de emprego”, protestou o presidente do sindicato, João Vaccari Neto.

Em junho deste ano, o Unibanco registrou 27.808 funcionários em todo o país e o HSBC, 19.500. Na base do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, o Unibanco tem 8.674 empregados e o HSBC, 2.630.