Bancários decidem rumos da greve

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de setembro de 2004 as 10:27, por: cdb

Nesta quarta-feira, quando a greve dos bancários atinge o seu 15º dia, representantes do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo vão se reunir com representantes do Sindicato dos Bancários e da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para uma audiência de instrução e negociação. A reunião está marcada para as 14h.

– Vamos até lá para reafirmar o que estamos dizendo ao longo de toda a greve: queremos negociar – diz Luiz Cláudio Marcolino, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, que estará presente à audiência.

Desde que os bancários entraram em greve, no dia 15 de setembro, nenhuma nova proposta foi apresentada pela Fenaban. Nesta terça-feira, o presidente do Bradesco e também da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Márcio Cypriano, disse que os bancos não vão apresentar uma nova proposta salarial para os bancários em greve.

Anteriormente, no dia 21, os representantes dos bancos já haviam mantido a proposta já rejeitada. “Isso foi uma provocação. Os trabalhadores estão exercendo seu direito de greve por melhores salários”, ressalta Marcolino.

Corte do ponto

O porta-voz da Presidência da República, André Singer, afirmou que não cabe ao presidente da República decidir sobre o corte de ponto dos grevistas, medida tomada por Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. 

– É bom lembrar que esse tema está sendo discutido entre a Federação Nacional dos Bancos e os bancos públicos.

Singer afirmou que Lula espera que os bancários em greve cheguem a um entendimento aceitável para todos e “também que bancos e sindicatos não permitam que a população seja prejudicada”.