Bala que atingiu Luciana tinha outro alvo, diz a Polícia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 12 de maio de 2003 as 09:36, por: cdb

O tiro que atingiu a estudante Luciana Gonçalves de Novaes deixando-a em coma, era endereçado a outro aluno, informaram policiais. A polícia informou que, o ataque de traficantes do Morro do Turano que vitimou a Luciana, tinha como alvo um integrante do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Estádio de Sá que, segundo policiais, disputava o ponto de venda de drogas dentro do campus.

O laudo da bala que feriu a estudante e da fita do circuito interno de segurança da universidade, mostraram que o disparo foi feito de dentro da própria instituição.

O rumo das investigações sugere que, na guerra por pontos de venda, bandidos do grupo de Ocimar Nunes Robert, o Barbosinha, tenham invadido a faculdade para atingir o rival na cantina próximo, ao DCE.

No domingo, o chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, anunciou o afastamento do caso do delegado da 6ª DP (Cidade Nova), Renato Carvalho. As investigações foram transferidas para a Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), comandada pelo delegado Márcio Petra.

Segundo Álvaro Lins, o fato de ter tomado conhecimento apenas pela imprensa das fitas cedidas pela direção da universidade e a grande complexidade das investigações motivaram a mudança.

– Há nove PMs envolvidos, dois desaparecidos e uma vítima. Não há condição de um delegado de distrital cuidar disso. Daí transferirmos o caso para uma delegacia especializada – justificou.

Domingo a polícia recebeu da universidade pelo menos 20 CDs com imagens do sistema de monitoramento por câmeras do campus. O material foi encaminhado para análise de peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli. Os policiais esperam encontrar outras imagens de um homem que estaria armado e aparece na gravação de uma das câmeras. Ele não foi identificado devido à falta de qualidade da fita.