Bala perdida mata mãe e fere filha em favela na Penha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de outubro de 2009 as 11:05, por: cdb

Uma bala perdida matou no fim da noite deste domingo a dona de casa Ana Cristina Costa, de 24 anos, na entrada da favela Kelson’s, na Penha – Zona Norte do Rio. A mesma bala atingiu a filha de Ana Cristina, Caienny Nascimento de Aragão, de 11 meses, que estava no colo da mãe e foi internada no Hospital Getúlio Vargas com risco de perder o braço atingido.

Parentes das vítimas disseram que o tiro que atingiu mãe a filha partiu de uma blazer da PM que fazia patrulhamento na comunidade, mas os policiais que ocupavam o carro alegam que a dona de casa foi vítima de um tiro disparado por traficantes uma vez que que eles não tiveram tempo de revidar o ataque.

Mãe e filha foram levadas para o mesmo hospital Getúlio Vargas, que também fica na Penha, mas Ana Cristina não resistiu ao ferimento e será sepultada à tarde no Cemitério de Irajá. O bebê continua internado, mas os médicos não afastaram a hipótese de que venha a ficar sem o braço atingido pela bala.

Uma testemunha que não quis se identificar disse que ouviu os tiros e que só deu tempo de de abaixar. “Quando olhei para traz, só ouvi o marido dela gritando por socorro”.

A dona de casa estava na casa da irmã organizando a festa da filha, que completa um ano no próximo mês. Ela tinha outros dois filhos, um de seis e outro de três anos.

Jovem de 18 anos estrangulada

A onda de violência não fica restrita ao subúrbio do Rio. A jovem Bárbara Calazans, de 18 anos, morreu estrangulada pelo namorado, Bruno Kliegierman, de 26, no último sábado. Bruno que era viciado em crack, matou a namorada em seu apartamento, no Flamengo, e não resistiu a prisão.