Bairros do interior de MG sofrem com inundação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de dezembro de 2003 as 01:39, por: cdb

Uma tromba d’água, que durou cerca de 40 minutos, inundou ontem o Bairro Carneirinhos, onde fica o centro comercial de João Monlevade, cidade do Vale do Aço, a 110 quilômetros de Belo Horizonte.

O Córrego Carneirinhos transbordou, alagando residências e 50 estabelecimentos comerciais nas avenidas Getúlio Vargas e Wilson Alvarenga, as principais da cidade e as mais atingidas. O nível da água chegou a subir quase dois metros.

Mais de 100 carros ficaram ilhados nestas duas avenidas. Por causa do temporal, a Prefeitura de João Monlevade decretou Estado de Emergência. Até o fechamento desta edição, a Defesa Civil não sabia quantos moradores foram prejudicados.

O Pronto-Atendimento, que também fica no Centro da cidade, ficou ilhado, prejudicando o atendimento. Os pacientes não puderam sair e nem entrar, por causa da inundação da Avenida Wilson Alvarenga. Segundo o empresário Márcio Passos, que teve seu carro inundado pela enchente, o canal que cobre o Córrego Carneirinhos não suporta chuvas mais intensas, por causa do assoreamento.

Na região, segundo ele, há um grande número de construções irregulares, cujos entulhos são carreados pela água da chuva, caem nas bocas-de-lobo e ganham o córrego.

Os moradores do Bairro Boa Vista também ficaram ilhados, mas neste caso o motivo foi a queda da ponte sobre o Córrego dos Coelhos. A prefeitura ainda não sabe quando ela será reconstruída, mas um acesso provisório deverá ser instalado ainda nesta terça-feira.
 
– A chuva foi tão forte, que se eu não tive jogado o meu carro em cima de um passeio, ele teria sido arrastado, e levado toda a minha família – contou o médico Carlos Ribeiro Rocha.

No dia 12 de dezembro, um outro temporal provocou estragos na área comercial de João Monlevade, e deu um prejuízo de R$ 260 mil à prefeitura, que enfrenta uma séria dificuldade para enfrentar este tipo de situação – a falta de uma unidade do Corpo de Bombeiros. No início da noite, a lama que tomou conta das avenidas e ruas começou a ser retirada. Segundo a Defesa Civil, duas famílias ficaram desabrigadas.