Aviões sauditas bombardeiam bases do Exército no Iêmen

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 20 de maio de 2015 as 10:46, por: cdb
Fogo visto em montanha de Noqum na capital do Iêmen, Sanaa
Fogo visto em montanha de Noqum na capital do Iêmen, Sanaa

 

Aviões de guerra de uma coalizão liderada pela Arábia Saudita realizaram na terça-feira à noite o bombardeio mais prolongado à capital do Iêmen, Sanaa, em quase dois meses de ataques aéreos, disseram moradores da cidade, e os alvos foram bases militares e depósitos de armas.

Segundo moradores, essa foi a primeira vez em que os ataques aéreos continuaram da manhã até depois da meia-noite desde o início da campanha de bombardeios em 26 de março. Os ataques provocaram fortes explosões por toda a cidade.

O governo iemenita, que tem o apoio da coalizão e está exilado na capital saudita, Riad, disse na terça-feira que não concordaria em manter conversações com os rebeldes enquanto eles não se retirassem das cidades e depusessem as armas, ou seja, parece improvável que haja em breve negociações de paz para acabar com a guerra civil.

A coalizão reiniciou os ataques na noite de domingo, depois de uma pausa humanitária de cinco dias, e rejeitou os pedidos da ONU pela prorrogação da trégua, alegando que houve repetidas violações do cessar-fogo por parte dos rebeldes.

Os rebeldes, uma aliança de milícias xiitas houthis e de forças do Exército leais ao ex-presidente Ali Abdullah Saleh, controlam a maior parte da populosa região ocidental do Iêmen e vêm combatendo forças locais nas cidades de Áden, Taiz, Marib e al-Dhala.

Navio iraniano

Um navio de carga iraniano a caminho do Iêmen deve para cruzar o Mar Vermelho na quinta-feira, relatou a agência de notícias estatal Irna, em meio a temores de um confronto com forças lideradas pela Arábia Saudita que impõem restrições aos portos iemenitas.

A aproximação do navio ameaça aumentar um confronto regional no Iêmen, onde a Arábia Saudita e seus aliados muçulmanos sunitas realizam ataques há quase dois meses contra aos militantes rebeldes houthis, que dizem ser armados pelo Irã. Teerã nega as acusações.

– Se o tempo e as condições técnicas do navio persistirem… iremos entrar no estreito Bab al-Mandeb amanhã de manhã – disse o capitão do navio iraniano, Massoud Ghazi Mirsaid, nesta quarta-feira, segundo a agência, referindo0se ao estreito que liga o Golfo de Áden ao Mar Vermelho.

Ao cruzar o estreito, o navio iraniano vai passar por Djibuti, onde a ONU está coordenando a ajuda ao Iêmen. Autoridades norte-americanas pediram ao Irã para desviar o navio para Djibuti para permitir a inspeção da carga.

O Irã informou que o navio está carregando 2.500 toneladas de comida e suprimentos médicos para o porto de Hodaida, no Iêmen, para ajudar vítimas do conflito.