Autoridades da Grã-Bretanha e Irlanda investigam carne de cavalo em hambúrgueres

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 16 de janeiro de 2013 as 11:06, por: cdb
Produtos contaminados eram vendidos em grandes redes de supermercado nos dois países
Produtos contaminados eram vendidos em grandes redes de supermercado nos dois países

Autoridades da Grã-Bretanha e da Irlanda estão investigando como hambúrgueres de carne bovina vendidos em grandes cadeias de supermercados dos dois países foram contaminados com carne de cavalo. A contaminação foi descoberta pelas autoridades de saúde da Irlanda, que examinaram 27 produtos diferentes e constataram que 10 deles tinham traços de DNA de cavalos e 23 continham DNA de porcos.

Os hambúrgueres com DNA de cavalo haviam sido produzidos em dois frigoríficos irlandeses e em um de Yorkshire, na Inglaterra. Segundo as autoridades dos dois países, o consumo dos hambúrgueres não trazia riscos à saúde, mas os produtos já foram retirados das prateleiras dos supermercados.

‘Atitude responsável’

Em uma das amostras pesquisadas, a carne de cavalo representava 29% do conteúdo total de carne de um hambúrguer congelado. Além dos hambúrgueres, também foram testados 31 outros produtos com carne bovina, como tortas, um curry e uma lasanha, dos quais 21 apresentaram traços de DNA de porcos.

O diretor de proteção ao consumidor da Autoridade de Segurança dos Alimentos da Irlanda (FSAI, na sigla em inglês), Raymond Ellard, afirmou que várias investigações estão em curso para determinar o que ocorreu.

– As empresas tiveram uma atitude muito responsável. Elas voluntariamente retiraram os produtos da venda, assim como os supermercados – disse. “Uma longa cadeia de investigações está em curso agora para verificar todos os ingredientes usados nesses produtos, de onde eles vieram e como a contaminação cruzada pode ter ocorrido”, disse.

Explicação plausível

Para o diretor-executivo da FSAI, Alan Reilly, há uma explicação mais plausível sobre a presença de DNA de porcos nos produtos, já que carnes de diferentes animais são processadas nos mesmos locais, mas ainda não existe uma explicação para a presença de carne de cavalo, que não é processada nos frigoríficos em questão.

– Na Irlanda, não faz parte de nossa cultura comer carne de cavalo e, portanto, não esperamos encontrá-la em um hambúrguer”, disse. “Da mesma forma, para alguns grupos religiosos, ou pessoas que se abstêm de comer carne de porco, a presença de traços de DNA de porcos é inaceitável – afirma.

O ministro da Agricultura da Irlanda, Simon Coveney, disse que o consumo dos hambúrgueres não traz riscos à saúde dos consumidores e afirmou que o país tem “provavelmente o melhor controle e os melhores padrões de higiene alimentar do mundo”. Os frigoríficos investigados afirmam que nunca compraram ou processaram carnes de cavalo e estabeleceram uma investigação própria sobre dois fornecedores europeus.