Aumento do salário mínimo pode chegar a 50% na Argentina

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 11 de julho de 2003 as 00:25, por: cdb

O governo argentino anunciou um aumento do salário-mínimo que chegará até a 50% no fim do ano. Há dez anos o mínimo estava congelado no país. A partir deste mês, passará de 200 para 250 pesos. Entre agosto e dezembro próximos, o salário-mínimo aumentará 10 pesos por mês, fechando o ano em 300 pesos.

O valor da aposentadoria mínima também será elevado em 10%, chegando a 220 pesos, medida que beneficiará 1,5 milhão de pessoas.

– Recuperaremos uma instituição (o salário-mínimo) que há dez anos estava abandonada – disse o Ministro do Trabalho, Carlos Tomada.

Após a divulgação das medidas, o presidente disse em discurso na Bolsa de Valores de Buenos Aires, no primeiro encontro formal entre Kirchner e representantes do mercado,  que a Argentina precisa de empresários comprometidos com a realidade social.
 
– Queremos homens de negócios que favoreçam o desenvolvimento humano, e não empresários alheios à crise, à fome, à falta de educação e saúde – disse o presidente, que pediu a construção de um sistema financeiro comprometido com a recuperação do país, e não com a especulação.