Atualizada – Petrobras: problema de falta de combustível atinge dois estados da Federação e está sendo resolvido

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 19 de outubro de 2012 as 17:14, por: cdb

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – A Petrobras informou hoje (19) que a falta de combustível atinge dois estados da Federação e não cinco como vem sendo noticiado por alguns veículos de comunicação. Em nota à Agência Brasil, a estatal informou que os estados afetados pela falta de derivados do petróleo são o Rio Grande do Sul e o Amapá.

Na nota, a empresa informou que as melhoras das condições climáticas na região do Terminal Marítimo de Tramandaí, no Rio Grande do Sul, já permitiu que os navios da Transpetro conduzindo matéria-prima necessária ao refino (petróleo e nafta) descarregassem os produtos nesta quarta-feira (17).

Segundo a empresa, com a operação de descarga o suprimento da Refinaria Alberto Parqualini (Refap), em Canoas (RS), já está sendo normalizado. “Dentro dos próximos dias, a Refap voltará a produzir derivados regularmente”, informou a nota.

No Amapá, a Petrobras Distribuidora (BR) informou que continua mobilizando todos os recursos para normalizar a oferta de combustíveis aos postos com sua bandeira no estado “o quanto antes”. Ontem (18), a BR carregou mais de 200 mil litros para toda a Rede Petrobras, num volume médio de 5 mil litros por posto.

A nota informa que “está mantida a previsão de chegada de uma nova balsa com etanol anidro e gasolina à capital, oriunda de Belém, no fim de semana, quando a operação será mantida com o objetivo de normalizar o abastecimento”.

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom) confirmou à Agência Brasil as informações da Petrobras de que a falta de combustível no país é “pontual” e decorre de condições climáticas adversas.

Segundo nota, o Sindicom informa que, desde a semana passada, as condições marítimas vêm prejudicando o abastecimento em postos da Região Sul do país, em particular no Rio Grande do Sul.

“As condições climáticas adversas não têm permitido que a Petrobras realize descarga de navios, contendo petróleo e derivados, o que vem atrasando as entregas de gasolina Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), para as distribuidoras do Sul e, consequentemente, também para os postos”, diz a nota.

O Sindicom indica, ainda, que volumes extras estão sendo disponibilizados em polos alternativos também em Santa Catarina e no Paraná, e que caminhões-tanque estão sendo enviados para levar o suprimento até Porto Alegre. “O produto também está sendo retirado do duto que vai de Araucária até Florianópolis”, diz a nota.

O Sindicom esclarece, porém, que o abastecimento não está sendo afetado de forma generalizada. “O que pode ocorrer são atrasos pontuais, mas o consumidor que quiser abastecer, certamente encontrará um posto para fazê-lo”.

O sindicato informou, ainda, que as companhias de distribuição estão em diálogo permanente com a Petrobras para sanar estes contratempos o mais rapidamente possível. Sobre o estado no Amapá, que também está com o abastecimento prejudicado, o Sindicom informou que amanhã estará atracando no Porto de Macapá uma balsa com gasolina e que a situação no estado deve estar normalizada no final de semana.

Edição: Fábio Massalli