Atendimento médico na Maré impressiona ministro inglês

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 12 de fevereiro de 2008 as 12:21, por: cdb

O ministro da Saúde do Reino Unido, Alan Johnson, visitou, nesta terça-feira a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas, na Vila do João, no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, e gostou tanto do que viu que não só pretende influir junto ao governo inglês para ajudar na expansão do programa de saúde no estado como adaptar a idéia em seu país.

Johnson disse que vai aproveitar a ida do governador Sérgio Cabral e do secretário estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, a Londres, em abril, para formatar o intercâmbio. 

– Esperamos ter a oportunidade de mostrar a eles nossas instalações de saúde na Inglaterra de forma que possamos fazer uma troca de idéias. Neste sentido, a idéia da UPA pode nos ajudar a prestar um melhor serviço de saúde a áreas carentes da Grã-Bretanha. Lá, não temos favelas, como as daqui, mas também há várias áreas de pobreza, de carência, afirmou o ministro.

O ministro confirmou que, ao programar a viagem ao Rio, determinou a inclusão de uma visita a uma UPA para ver pessoalmente como funciona o superposto, de quem ouvia maravilhas. 

–  Confesso que não imaginava que fosse encontrar um local com tantos serviços, tão abrangente. Além do atendimento médico propriamente, a UPA possui infra-estrutura para fornecer outros serviços, como educação de saúde pública, e ainda implantou o cartão magnético que contém todos os dados médicos e pessoais do paciente. É muito interessante! – elogiou.

Johnson impressionou-se particularmente com a idéia de instalar um posto de atendimento de casos de baixa e média complexidades, com conforto e infra-estrutura adequada, próximo ao local onde vivem os pacientes. E mais ainda ao saber que, em razão da oferta de serviço de qualidade, não há necessidade de um aparato de segurança para proteger as instalações e os funcionários da UPA, embora esteja instalada, como a da Maré, junto a uma das áreas mais conflituosas da cidade.

Primeira unidade do programa inaugurada pelo governo do estado, a UPA da Maré já fez, desde 30 de maio de 2007, mais de 92 mil atendimentos, com menos de 270 remoções. Segundo a Secretaria de Saúde do Estado, incluindo as unidades de Irajá, Santa Cruz e Bangu, já foram atendidos mais de 220 mil pacientes.
 
Ainda neste mês será inaugurada, em Campo Grande a quinta UPA e, até o fim do ano, mais 15 unidades. O plano é chegar ao fim do governo com 30 UPAs funcionando, com 12 mil atendimentos mensais em cada uma.

As UPAs funcionam 24 horas, todos os dias da semana. Cada uma delas tem consultórios de pediatria, clínica médica, ortopedia e odontologia, além de salas de nebulização e medicação, sutura, raios-x e gesso e laboratório, onde são realizados na hora os exames pedidos pelos médicos. Lá, também vão ser marcados na hora os exames mais complexos que serão feitos pelos futuros centro de imagem. As UPAs contam ainda com salas de observação e uma onde pacientes com casos mais graves esperam a remoção para um hospital.

Tantos as Upas como o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)/192 são geridos pelo Corpo de Bombeiros que, inclusive, vai realizar concurso em março para a contratação de 5.009 novos funcionários, entre médicos, enfermeiros e técnicos em saúde para reforçar os dois programas.