Astro de ‘Super-Homem’ acusa Bush de obstruir pesquisas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 17 de setembro de 2002 as 23:32, por: cdb

O ator Christopher Reeve, conhecido por viver o papel do Super-Homem no cinema, acusou a Igreja Católica e o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, de obstruir pesquisas científicas que podem ajudá-lo a recuperar os movimentos.

Reeve disse ao jornal britânico The Guardian que os estudos com células-troncos podem abrir caminho para a recuperação de lesões do sistema nervoso, como a que ele sofreu em 1995, ao cair de um cavalo, e que o deixou tetraplégico.

Mas o ator disse que o governo Bush declarou as pesquisas ilegais depois da oposição da Igreja Católica.

“Se o governo tivesse investido em estudos sobre as células-tronco embrionárias desde que elas foram isoladas pela primeira vez, em 1998, acredito que estaríamos já na fase de testes com humanos”, afirmou Reeve.

Movimentos

Na semana passada, Christopher Reeve anunciou ter recuperado os movimentos e a sensibilidade nos dedos das mãos e dos pés.

Ele consegue sentir o espetar de uma agulha em quase todas as partes do seu corpo e é capaz de distingüir sensações de calor e frio.

O ator, de 49 anos, vem gastando mais de US$ 400 mil dólares por ano em tratamentos médicos.

Reeve tinha esperanças de poder andar novamente quando chegasse aos 50 anos, no final deste mês.

Agora, ele defende um projeto de lei que poderá permitir a clonagem embrionária com fins terapêuticos.

“Há grupos religiosos, como as Testemunhas de Jeová, que acreditam que uma transfusão de sangue seja um pecado”, disse o ator ao The Guardian. “E se o presidente decidir ouvir esses grupos e não os católicos, como ele vai realmente poder formar uma opinião sobre a clonagem embrionária?”

Documentário

Recentemente, foi lançado o documentário Christopher Reeve: Courageous Steps (Christopher Reeve: Passos Corajosos, em tradução livre).

O filme, dirigido pelo filho do ator, Matthew, de 22 anos, mostra a luta de Reeve para voltar a andar.

“A intenção do filme é mostrar que o conhecimento convencional está sendo colocado de lado”, afirmou ele. “Mesmo se seu corpo não funciona como antes, o coração, a mente e o espírito não são diminuídos.”