Assessor especial de Lula deixa o governo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de novembro de 2003 as 21:54, por: cdb

Secretário de Lula, com status de ministro, José Graziano descartou, na noite desta segunda-feira, que seja o pivô da saída de Oded Grajew. Graziano garantiu que não há nenhuma divergência de Grajew com qualquer membro do Fome Zero no governo. De acordo com o ministro, as razões do assessor especial para deixar o cargo foram pessoais.

Grajew é o primeiro assessor ligado diretamente ao presidente a deixar a gestão petista. Ao anunciar a saída de Grajew, Lula reconheceu que não tem muito tempo para conversar com sua assessoria, o que seria um dos motivos que levaram o assessor a pedir exoneração..

– É verdade que conversávamos muito mais antes de sermos governo. Com esse negócio de ser governo, não temos tempo de prosear com os amigos – afirmou Lula.

Grajew nega que esteja saindo por sentir falta de espaço dentro do governo, mas disse: “Vou ser mais forte fora do governo, ao lado da sociedade”.

Grajew vinha se queixando de forma sutil da falta de tempo para conversar com o presidente sobre seus projetos. Isso não quer dizer que ele tenha perdido prestígio com Lula. “Tentei persuadir o Oded a continuar, mas, como o conheço há mais de 20 anos, sei que, quando ele toma uma decisão, dá sequência a ela”, afirmou Lula.

O Planalto organizou uma cerimônia de despedida para Grajew, com a presença de ministros. O ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome, José Graziano, não participou da cerimônia, na tarde desta segunda-feira, no Palácio do Planalto, já tinha conhecimento da decisão de Grajew de deixar o cargo.

A assessoria de Graziano informou que o ministro não participou da cerimônia porque está em São Paulo, despachando no escritório da organização não governamental (ONG) de apoio ao Fome Zero. Graziano estaria inclusive, segundo a sua assessoria, articulando a presença de Grajew nos quadros da ONG. Oded Grajew é um dos principais articuladores do programa Fome Zero.

Conforme os assessores do ministro, Graziano assegurou que Grajew não vai deixar o programa Fome Zero, mas colaborar de forma mais ativa à frente do Instituto Ethos (do qual é presidente de honra) e de outras articulações da sociedade civil em prol do combate à fome.

Participaram da rápida cerimônia de despedida os ministros Antônio Palocci (Fazenda), José Dirceu (Casa Civil) e Luiz Gushiken (Secretaria de Comunicação), além do assessor especial da Presidência e também articulador do Fome Zero, Frei Betto.