Assessor de Amaral assume presidência da CTNBio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de novembro de 2003 as 04:54, por: cdb

O presidente da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), Erney Camargo, pediu exoneração do cargo. A carta com o pedido de demissão foi entregue ao ministro da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, há cerca de duas semanas, logo após a apresentação do projeto da Lei de Biossegurança ao Congresso, no dia 30.
 
Ele será substituído pelo secretário de Políticas Estratégicas e Desenvolvimento Científico do ministério, Jorge Guimarães.

A saída de Camargo deu origem a especulações de que o motivo seria o seu descontentamento com os termos do projeto, que retiram da CTNBio o poder de decidir sobre a segurança de produtos transgênicos.
 
Desde que assumiu o cargo, em abril, ele defendia a manutenção do caráter deliberativo da comissão. Em entrevista, entretanto, Camargo garantiu que sua motivação principal foi a ‘sobrecarga de tarefas’ – ele era, simultaneamente, presidente da CTNBio e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Apesar da polêmica sobre o futuro da CTNBio, Camargo disse que o clima na comissão era bom e sua relação com o ministro, ‘a melhor possível’. Perguntado se considerava as condições do projeto aceitáveis, entretanto, disse que ‘não’.
 
Segundo uma fonte próxima ao presidente, Camargo já tinha intenção de deixar o cargo há algum tempo, mas a exoneração não teria sido aceita pelo ministro por causa da dificuldade de encontrar um substituto.

No fim da tarde da última terça-feira, a Assessoria de Comunicação do ministério divulgou uma versão diferente, segundo a qual a iniciativa de trocar o presidente teria partido do ministro e a carta entregue por Camargo seria apenas uma formalidade. Por causa do momento, Amaral teria achado ‘prudente’ chamar alguém que pudesse se dedicar exclusivamente à CTNBio.