Assaltantes mantém reféns em loja de Manaus

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 9 de maio de 2003 as 13:13, por: cdb

Um grupo assaltou um carro forte que abastecia um caixa eletrônico do Banco do Brasil, na avenida Doca de Souza Franco, em Belém (PA), na manhã desta sexta-feira. Na fuga, dois supostos criminosos foram mortos pela polícia e cerca de outros quatro entraram em uma loja de telefone celular e mantêm cerca de cinco reféns na loja, segundo a Polícia Militar. Equipes especiais da Polícia Civil e da PM fazem neste momento a negociação com a quadrilha.

Um grupo de seis a sete homens rendeu os seguranças do carro forte pela manhã e roubou R$ 530 mil, segundo informações fornecidas pelos seguranças para a Polícia Militar.

Na fuga do assalto, um dos criminosos atirou contra um dos homens que fazia a proteção do carro, mas não acertou a vítima. O disparo chamou atenção de uma viatura da Polícia Militar que estava nas proximidades. Os policiais iniciaram a perseguição ao carro com os criminosos, que seria roubado.

A quadrilha se dividiu e dois homens renderam um taxista e o fizeram refém, junto com uma mulher que era passageira do veículo. Após troca de tiros, policiais acertaram um dos criminosos, que morreu na hora, segundo a PM. O outro comparsa fugiu à pé e entrou em um ônibus. Em uma nova troca de tiros, foi alvejado pela PM e também morreu.

O motorista do táxi e a passageira foram levados sem ferimentos para a delegacia, onde devem prestar depoimento.

A outra parte do grupo entrou em uma loja de venda de aparelhos celulares, na avenida Nazaré, no centro da cidade. Eles anunciaram manter inicialmente seis reféns. Um foi libertado em negociação com a polícia. O segundo suposto refém libertado foi reconhecido pelos policiais como um dos assaltantes e foi preso. A PM calcula que ainda estejam na loja pelo menos três assaltantes e cinco reféns.

A Companhia de Operações Especiais e oficiais gerenciadores de crise da PM comandam as negociações com assaltantes, juntamente a equipes da Polícia Civil.